Cattleya walkeriana

 

Hoje é um dia especial para mim. Esta é a orquídea número 200 que apresento no meu blog. E, dia especial merece planta especial. E não vou economizar. Vou falar logo da mais apreciada de todas as orquídeas, a mais admirada e desejada, a Cattleya walkeriana.

E não se trata apenas de uma opinião individual. Esta planta é carinhosamente conhecida no mundo inteiro como a “rainha das orquídeas”.

Gif retirado da internet - Site:
http://cafecomsucralose.blogspot.com.br/2012/06/realezas.html

 

Para começar, algumas informações relativas ao gênero em questão.

Cattleya é um gênero pertencente à família Orchidaceae, composto por aproximadamente 120 espécies.

Estas plantas são originárias da ampla área que se estende desde o hemisfério norte (México), passando pela América Central até chegar a América do Sul, onde ocorre em maior número de espécies. O Brasil é o principal reduto da maior parte destas plantas, ocorrendo em todos os estados.

 

Cattleya – Ocorrência

Desenho retirado da internet - Site:
http://www.mundovestibular.com.br/articles/6514/1/America-Latina/Paacutegina1.html

 

O nome deste gênero é uma homenagem a Sir William Cattley (1788 – 1835), horticultor e comerciante inglês. Abaixo conto rápida e resumidamente como isto aconteceu.

Em certa ocasião Cattley estava ajudando seu primo John Prescott, renomado colecionador de plantas, a desembalar um carregamento que ele tinha recebido do Brasil. No meio de milhares de plantas, Cattley encontrou uma pequena muda de uma planta de formato até então desconhecido. Cultivou-a e, após alguns anos, quando florida, ficou encantado com sua beleza e a encaminhou para seu amigo John Lindley analisar. Em 1824 essa planta maravilhosa foi batizada por Lindley como Cattleya, em homenagem ao seu amigo. A flor da ocasião era uma Cattleya labiata, uma das flores mais desejadas de todo o planeta.

Com ceretza as Cattleyas são as plantas mais cultivadas por orquidófilos do mundo inteiro. E existem razões para isto:

  • O tamanho avantajado das flores;
  • As fantásticas combinações de cores de suas flores;
  • O formato arredondado de suas flores;
  • O encantador perfume da maioria das espécies;
  • Facilidade de cultivo.

Agora sim, chegou a hora de falar de Sua Majestade, a Cattleya walkeriana. Um espetáculo da natureza.

E não é apenas conhecida como a “rainha das orquídeas”. Por ter o pico de floração no mês de Maio, esta planta também é conhecida em algumas regiões do Brasil como “flor das noivas”, “flor de Maria”, “flor das mães”, “flor do inverno” e várias outras.

Trata-se de uma planta originária do sudeste e centro-oeste brasileiro, mais especificamente dos estados de Minas Gerais, São Paulo, Goiás, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. Vegeta em matas ensolaradas localizadas em altitudes inferiores a 1800 metros, fixada em grandes árvores, de forma epífita, ou fixada sobre rochas cobertas de musgo, de forma rupícola, e normalmente próximo a rios, lagos ou pântanos.

Na divisa dos estados de Minas Gerais e São Paulo, a Cattleya walkeriana divide o habitat com a Cattleya loddigesii, dando origem ao famoso híbrido natural denominado Cattleya dolosa.

Já no estado de Goiás, a rainha das orquídeas divide o habitat com a Cattleya nobilior, dando origem a mais uma obra-prima da natureza, o híbrido primário conhecido como Cattleya mesquitae.

Esta maravilhosa orquídea foi descoberta em 1839, nas margens do Rio São Francisco (Minas Gerais), pelo médico, biólogo e botânico escocês George Gardner (1812 – 1849).

Gardner ficou cinco anos no Brasil (1836 a 1841) explorando e pesquisando nossa flora. Os primeiros dois anos no Rio de Janeiro, e depois Bahia, Pernambuco, Ceará, Piauí, Goiás e Minas Gerais. Estimasse que nesse período ele deve ter enviado mais de 50 mil plantas brasileiras para a Inglaterra.

O nome desta espécie, walkeriana, foi dado por Gardner em homenagem ao seu fiel assistente, Edward Walker, funcionário do Jardim Botânico do Sri Lanka. Que absurdo, a rainha das orquídeas é uma planta 100% brasileira, e seu nome é uma homenagem a um coletor de plantas de um país insular localizado no sul da Índia.

Sinonímia: Cattleya bulbosa; Cattleya gardneriana; Cattleya princeps; Cattleya walkeriana subsp. princeps; Cattleya walkeriana var. bulbosa; Cattleya walkeriana var. princeps e Epidendrum walkerianum.

Trata-se de uma planta magnífica constituída de um robusto rizoma rastejante e com grossas raízes cobertas de tecido velame. Possui pseudobulbos fusiformes, com tamanho que pode chegar a 10cm de comprimento por 3cm de diâmetro. Estes bulbos são lisos, quando novos, tornando-se sulcados (enrugados) com o passar do tempo. Normalmente são monofoliados, existindo raros casos de bulbos bifoliados.

As folhas tem formato elíptico ou arredondado, são grossas, vigorosas e coriáceas, podendo chegar a 12cm de comprimento.

A inflorescência é estupenda. Curtas hastes florais de 8cm de comprimento brotam do ápice dos pseudobulbos, suportando normalmente 2 ou 3 flores de diâmetro variando entre 8 e 12cm. As pétalas são mais largas do que as sépalas e o labelo é trilobado com grande exposição da coluna.

Uma característica marcante da Cattleya walkeriana é o seu perfume. Um delicioso e extasiante perfume que lembra o aroma da canela, para o mais puro e profundo deleite dos cultivadores.

Em termos de cores esta orquídea possui inúmeras variações. Na planta “tipo” predominam matizes de rosa. Existem ainda as variáveis alba, semi-alba, albescens, suave, suavíssima, coerulea, coerulescens, lilás, lilacínea, vinicolor, rubra e outras. Uma infinidade de combinações todas gloriosas e apaixonantes. SHOW.

Pelas tantas qualidades já descritas desta planta, a Cattleya walkeriana é uma das orquídeas mais utilizadas na geração de híbridos, e é uma espécie que pode alcançar altos valores comerciais. Um bom exemplar desta orquídea pode chegar facilmente a custar entre 2 e 3 mil reais. Atualmente o Japão é principal comprador de nossas walkerianas.

Venerada por colecionadores, a Cattleya walkeriana é considerada a orquídea mais perfeita que existe graças ao equilíbrio e simetria de suas formas.

E uma em especial é um sonho para todos os orquidófilos. A famosa Cattleya walkeriana “Feiticeira”. Esta orquídea é muito rara. Foi descoberta e descrita na década de 1960 por José Dias de Castro, e atualmente é uma das plantas mais cobiçadas do mundo. Isto por seu formato espetacular, e porque esta planta possui instabilidade genética que produz deformações na prole, produzindo sementes estéreis e inviabilizando a reprodução in vitro. Os exemplares de Cattleya walkeriana “Feiticeira” encontrados no mercado são descendentes da planta descoberta por Castro.

Resultado de imagem para Cattleya walkeriana “Feiticeira”

Cattleya walkeriana “feiticeira”

Desenho retirado da internet - Site:
www.flickr.com/photos/41994766@N06/7317347188

 

É uma planta fácil de cultivar. Basta seguir algumas regras básicas:

  • A melhor forma de cultivo é fixada em árvores, ou então em cascas, troncos ou galhos, e com muitas raízes expostas. Cascas de Peroba, Aroeira e Ipê são ótimas para esta finalidade.
  • Se sua opção for cultivar esta planta em vaso ou caixeta, então utilize um substrato confeccionado com partes iguais de casca de pinus, carvão vegetal e pedra brita.
  • A Cattleya walkeriana não suporta raízes encharcadas. Portanto, se você optou por cultivo em vasos, utilize recipientes baixos, com pouco substrato e rápida drenagem.
  • Muitas pessoas cultivam esta planta em vasos rasos de barro. Muito bom porque este material retém umidade e não deixa o substrato encharcado. Porém, eu não recomendo o uso destes vasos, porque os mesmos filtram a água e retém os sais que, com o tempo, prejudicam a planta e dificultam novas floradas.
  • Sugiro cultivo com sombreamento em torno de 50%.
  • É uma planta nativa de regiões com grandes variações térmicas entre o período do dia e da noite. Por este fato se desenvolve muito bem nas regiões sul e sudeste do Brasil.
  • Suporta temperaturas entre 10 e 35 graus. É importante protegê-la do frio nos dias mais rigorosos do inverno.
  • A Cattleya walkeriana é extremamente sensível às divisões. Se você particionar a touceira, gerando várias mudas, recomendo evitar a floração no ano seguinte à divisão, aumentando o período de fortificação da planta.

Floresce normalmente no final do outono e sua floração dura em média 30 dias.

Abaixo relaciono algumas fotos ilustrativas:

Resultado de imagem para Cattleya walkeriana “Feiticeira”

Foto retirada da internet - Site:
www.flickr.com/photos/41994766@N06/3931951241

Resultado de imagem para Cattleya walkeriana

Foto retirada da internet - Site:
http://minhasplantas.com.br/plantas/catleia-walkeriana/

Resultado de imagem para Cattleya walkeriana

Foto retirada da internet - Site:
http://orquidariodoeuler.blogspot.com.br/2014/12/cattleya-walkeriana-semi-alba-tamboril.html

Resultado de imagem para Cattleya walkeriana

Foto retirada da internet - Site:
www.flickr.com/photos/41994766@N06/sets/72157622354770220/

Resultado de imagem para Cattleya walkeriana

Foto retirada da internet - Site:
http://minhasplantas.com.br/plantas/catleia-walkeriana/

Resultado de imagem para Cattleya walkeriana

Foto retirada da internet - Site:
http://perfildaplanta.blogspot.com.br/2015/03/as-especies-de-cattleyas-brasileiras.html

IMAGENS: fonte pesquisa GOOGLE

Este blog é dedicado a pessoas que, como eu, amam e cultivam orquídeas. Meu objetivo com este trabalho é conhecer pessoas, divulgar e trocar informações sobre estas plantas.

É uma atividade amadora e sem fins lucrativos.

Se você encontrar alguma foto de sua autoria neste blog, e desejar a remoção, por favor envie um e-mail para  que a mesma seja retirada imediatamente. Obrigado.

 

IMAGES: GOOGLE search

This blog is dedicated to people who, like me, love and cultivate orchids. My goal with this job is meeting people, disseminate and exchange information on these plants.

It’s a non-profit non-professional activity.

If you find any of your images in this blog, and want it to be removed, please send me an email that I’ll do it immediately. Thank you.

 

 

Anúncios

9 pensamentos sobre “Cattleya walkeriana

  1. Pingback: Cattleya walkeriana — Orquídeas Encanto e paixão – POESIA ESPINHA DE PEIXE

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s