Anacheilium chacaoense

 

 

Hoje vou falar de uma planta maravilhosa, uma das preferidas de minha coleção. Uma planta fenomenal pertencente a um gênero polêmico e confuso. Uma planta cujas flores não ressupinam, exibindo um chamativo labelo voltado para cima. Uma orquídea de lindas formas e pinturas que esbanjam sofisticação com grande poder de sedução. Uma planta cujas flores emanam um dos perfumes mais deliciosos que conheço. Estou falando do Anacheilium chacaoense…

 

 

… uma obra-prima do norte sul-americano

 

 

Anacheilium é um gênero botânico pertencente à família Orchidaceae, proposto em 1842 pelo entomologista, botânico e ornitólogo alemão Johann Centurius von Hoffmannsegg (1766 – 1849).

 

 

Anacheilium chacaoense - Hoffmannsegg JPG

Johann Centurius Hoffmann Graf von Hoffmannsegg

Imagem retirada da internet – Site:
https://pt.wikipedia.org/wiki/Johann_Centurius_von_Hoffmannsegg

 

 

Nascido em Dresden, linda cidade Localizada nas margens do rio Elba, Hoffmannsegg (abrev.: Hoffmanns.), ficou famoso por sua enorme coleção de plantas e animais, e em 1809 fundou o conceituado Museu Zoológico de Berlim.

 

Entre suas inúmeras obras de elevado valor científico, destaque para:

  • Flore portugaise – 1809,
  • Verzeichniss der pflanzenkulturen in den gräfl – 1826 e
  • Verzeichniss der Orchideen im Gräfl –

 

Dois importantes gêneros botânicos foram nomeados em sua homenagem:

 

1 – Hoffmannseggia: gênero pertencente à família Fabaceae, que inclui as plantas vulgarmente conhecidas por leguminosas. São originárias das Américas e do sul da África.

 

Anacheilium chacaoense - Hoffmannseggia Repens JPG

Hoffmannseggia Repens

Imagem retirada da internet – Site:
https://conps.org/hoffmannseggia-repens/

 

 

2 – Hoffmannseggella: gênero pertencente à família Orchidaceae, que inclui as plantas de hábito rupícola anteriormente vinculadas à Laelia. Todas brasileiras, são encontradas principalmente no estado de Minas Gerais.

 

Anacheilium chacaoense - Hoffmannseggella briegeri JPG
Hoffmannseggella briegeri

Imagem retirada da internet – Site:
https://produto.mercadolivre.com.br/MLB-789578759-orquidea-adulta-laelia-briegeri-_JM

 

 

A planta considerada “tipo” para este gênero é o Anacheilium cochleatum, conhecido popularmente como “orquídea-polvo” ou “orquídea-lula”.

 

Anacheilium chacaoense - Anacheilium cochleatum JPG

Anacheilium cochleatum

Imagem retirada da internet – Site:
http://www.orquideasmantovani.com.br/produto/anacheilium-cochleatum/17

 

 

Anacheilium é um gênero composto por aproximadamente 65 espécies de hábito predominantemente epífita, mas que ocasionalmente podem ser vistas vegetando de forma rupícola fixadas sobre rochas cobertas de musgo. Normalmente são encontradas em florestas abertas e úmidas localizadas em altitudes inferiores a 1600 metros.

As plantas deste gênero são originárias da grande área que se estende desde a região sul do México até e região norte da Argentina. O Brasil é o principal centro de dispersão deste gênero, onde podemos encontrar mais da metade das espécies.

 

Anacheilium chacaoense - Ocorrencia genero JPG

Anacheilium   –  Ocorrência

Imagem retirada da internet – Site:
http://enlaescuelapublica.blogspot.com.br/2014/03/mapa-de-america-latina-con-todos-sus.html

 

 

Anacheilium é mais um gênero polêmico e que tem gerado muita controversa.

Inicialmente as espécies de Anacheilium eram vinculadas ao gênero Epidendrum, sendo depois transferidas para o gênero Encyclia e depois para Prostechea, utilizando como base principalmente as características distintivas mostrado na tabela abaixo:

 

Anacheilium chacaoense - caracteristicas generos JPG

 

 

Mais recentemente ocorreu uma nova reclassificação, com a transferência de algumas espécies de Prostechea para outros gêneros, como Anacheilium e Hormidium.

Enfim, aqui a história é longa e complexa. Anacheilium realmente é um gênero que sofreu muitas alterações ao longo do tempo, sendo excluído e restabelecido algumas vezes, e com quantidade de espécies variando constantemente.

 

Abaixo listo algumas das principais características das plantas pertencentes ao gênero Anacheilium:

  • Possuem labelo com forma típica de concha (1*) e com base parcialmente fundida à coluna.
  • Diferentemente do que acontece com a maior parte das orquídeas, suas flores não são ressupinadas (2*).
  • Suas inflorescências são mais curtas do que as folhas e se originam de uma espata.
  • Possuem três diminutos dentes na porção terminal da coluna do labelo, todos de mesmo tamanho.

 

(1*) Labelo em forma de concha: comparativo feito com o formato de algumas conchas, ou seja, de formato arredondado é com superfície côncava. Exemplifico com foto de Anacheilium fragrans, uma das orquídeas que mais aprecio:

 

Anacheilium chacaoense - Anacheilium fragrans JPG

Anacheilium fragrans

Planta de minha coleção

Créditos fotográficos:  Juan Pablo Heller (Curitiba – PR)

 

 

(2*) Ressupinação: é um mecanismo fantástico que a natureza criou para garantir que as orquídeas sobrevivam e perpetuem a espécie. Na grande maioria das orquídeas, o botão floral cresce em posição vertical. Mais tarde, no entanto, ele se deita e faz a chamada ressupinação, um movimento de até 180 graus destinado a colocar o labelo na posição horizontal, como se fosse uma plataforma ou uma pista de aterrissagem, visando facilitar ao máximo o trabalho dos agentes polinizadores. Ilustro com fotos de uma orquídea do gênero Cymbidium de minha coleção:

 

Anacheilium chacaoense - ressupinação JPG

Processo de ressupinação em Cymbidium

Planta de minha coleção

Créditos fotográficos:  Juan Pablo Heller (Curitiba – PR)

 

 

O nome deste gênero, Anacheilium, é uma palavra composta derivada do grego: ana, que significa “para cima”, kheilos, que significa “lábio”, “labelo”, e íon, sufixo diminutivo. Este nome é uma referência ao fato das espécies deste gênero possuir o labelo virado para cima (não ressupinado).

 

Pelo belo e harmonioso formato de suas flores, e principalmente pelo intenso e agradável perfume que estas emanam, as diversas espécies de Anacheilium são muito empregadas na arte da hibridação.

Exemplifico o tema com foto de uma linda orquídea oriunda do cruzamento de um Anacheilium com uma planta do gênero Panarica:

 

Anacheilium chacaoense - hibrido JPG

Panarica brassavolae x Anacheilium radiatum

Imagem retirada da internet – Site:
https://www.orchidpeople.com/products/encyclia-related-genera/panarica-brassavolae-x-anacheilium-radiatum

 

 

E, para aqueles que desejam se aventurar na arte da hibridação, informo abaixo alguns dos gêneros pertencentes à subtribo Laeliinae, à qual pertence Anacheilium: Acrorchis, Alamania,   Arpophyllum, Artorima, Aulizia, Barkeria, Brassavola, Broughtonia, Cattleya, Caularthron, Coilostylis,  Dimerandra, Dinema, Domingoa, Dungsia, Encyclia, Epidendrum, Euchile, Guarianthe, Hagsatera, Hexisea, Hoffmannseggella, Homalopetalum, Hormidium, Isabelia, Jacquiniella, Laelia, Lanium, Leptotes, Loefgrenianthus, Meiracyllium, Myrmecophila, Nageliella, Nanodes, Neocogniauxia, Nidema, Oerstedella, Oestlundia, Orleanesia, Panarica, Pinelia, Platyglottis, Prosthechea, Pseudolaelia, Psychilus, Pygmaeorchis, Quisqueya, Renata, Rhyncholaelia, Scaphyglottis, Schomburgkia, Sophronitis,  e seus híbridos.

 

 

E agora a orquídea do dia, o fabuloso Anacheilium chacaoense, descrito em 1854 pelo renomado botânico e orquidólogo alemão Heinrich Gustav  Reichenbach (1823 – 1889), na ocasião com o nome de Epidendrum chacaoense.

 

Anacheilium chacaoense - Reichenbach JPG

Heinrich Gustav Reichenbach

Imagem retirada da internet – Site:
https://pt.wikipedia.org/wiki/Heinrich_Gustav_Reichenbach

 

 

Muitos acreditam ser Reichenbach o botânico mais importante para a orquidologia, atrás apenas de John Lindley.

Reichenbach identificou, descreveu e classificou mais de mil espécies de orquídeas e, durante sua brilhante carreira, chegou a ser diretor do Jardim Botânico da Universidade de Hamburgo, na Alemanha.

 

Anacheilium chacaoense - Jardim Botânico de Hamburgo JPG

Jardim Botânico de Hamburgo

Foto retirada da internet – Site:
https://en.wikipedia.org/wiki/Alter_Botanischer_Garten_Hamburg

 

 

É comum confundir seu trabalho com o de seu pai, que também foi um renomado botânico. Para facilitar a correta interpretação, em taxonomia geralmente aparece referenciado como Rchb. f., onde f = filius (filho), enquanto que os trabalhos de seu pai aparecem abreviados como Rchb.

 

A mudança para o gênero Anacheilium foi feita em 2004 pelos renomados botânicos estado-unidenses Carl Leslie Withner (1918 – 2012) e Patricia Ann Harding (1951), ambos especializados na família Orchidaceae.

 

Sinonímia: Encyclia chacaoensis; Epidendrum chacaoense; Epidendrum hoffmannii; Epidendrum pachycarpum; Hormidium chacoense e Prosthechea chacaoensis.

 

Entrando na área de taxonomia, mostro a seguir a classificação completa da orquídea do dia:

 

Anacheilium chacaoense - classificação JPG

 

 

Anacheilium chacaoense é originária da área que engloba a região sul do México e os países continentais da América Central, além de Colômbia e Venezuela na América do Sul, que são os principais centros de dispersão desta orquídea.

 

Anacheilium chacaoense - Ocorrencia especie JPG

Anacheilium chacaoense   –  Ocorrência

Imagem retirada da internet – Site:
www.thinglink.com/scene/844683476790673410

 

 

Em seu habitat esta planta vegeta de forma epífita em florestas úmidas e decíduas localizadas entre o nível do mar e 1200 metros.

 

O nome da espécie, chacaoense, é uma referência ao município de Chacao, localizado no estado de Miranda, região norte da Venezuela, próximo a Caracas, que é um dos principais redutos desta linda orquídea.

 

Anacheilium chacaoense - Chacao localizaçao JPG

Chacao  –  Localização

Imagem retirada da internet – Site:
https://www.conceptdraw.com/How-To-Guide/geo-map-south-america

 

 

 

Anacheilium chacaoense - Chacao JPG

Chacao – vista aérea

Imagem retirada da internet – Site:
https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Vista_del_Municipio_Chacao_del_Estado_Miranda,_Venezuela

 

 

A orquídea do dia é uma planta de pequeno porte, crescimento simpodial e que forma lindas touceiras. Seu rizoma é curto, robusto e ramificado, com raízes cobertas por tecido velame.

 

Os pseudobulbos são dispostos de forma aglomerada sobre o rizoma, apresentam formato ovoide e com superfície lisa e lustrosa. São bifoliados e em termos dimensionais possuem, em média, 5,0cm de comprimento por 2,8cm de diâmetro.

Suas folhas são finas, longas, conduplicadas e de formato elíptico-lanceolado, apresentando uma tonalidade escura de verde. Em média possuem entre 18,0cm de comprimento por 2,5cm de largura.

A inflorescência é do tipo curta e ereta. Uma pequena haste com aproximadamente 5cm de comprimento, originária do ápice do pseudobulbo, entre as folhas, suportando normalmente entre 2 e 5 flores em sua parte terminal.

 

Anacheilium chacaoense - planta JPG

Anacheilium chacaoense – Estruturas da planta

Planta de minha coleção

Créditos fotográficos:  Juan Pablo Heller (Curitiba – PR)

 

 

As flores do Anacheilium chcaoense não são ressupinadas, com labelo voltado para cima, e possuem aproximadamente 4cm de diâmetro. Sépalas um pouco mais largas do que as pétalas, todas de formato linear e similares, pintadas de uma linda tonalidade de verde claro. O labelo é magnífico. Apresenta o já citado formato de concha, côncavo e arredondado, com delicadas listras longitudinais de cor bordô caprichosamente pintadas em sua superfície de cor predominantemente branca. Realmente espetacular.

 

Anacheilium chacaoense - flor JPG

Anacheilium chacaoense – Estruturas florais

Planta de minha coleção

Créditos fotográficos:  Juan Pablo Heller (Curitiba – PR)

 

 

Outro atributo espetacular desta orquídea é o perfume emanado por suas flores. Uma deliciosa e embriagante fragrância adocicada com alto poder de sedução, capaz de atrair os mais exigentes polinizadores. Sensacional.

 

 

Anacheilium chacaoense - perfume JPG

Imagem da Smurfete retirada da internet – Site:
http://imagensedesenhosparaimprimir.blogspot.com/2014/04/smurfete-desenho-para-imprimir.html

 

 

Por ser originário de uma pequena região geográfica, pelo avanço da especulação imobiliária, pela expansão das fronteiras agrícolas, pelas queimadas e, principalmente pela ação predatória do homem com a coleta irregular de exemplares para fins ornamentais e comerciais, Anacheilium chacaoense  é mais uma das tantas orquídeas pertencentes ao temido rol das plantas com risco de extinção (Apêndice II). Esta lista é gerada pela CITES (inglês: Convention on International Trade in Endangered Species of Wild Fauna and Flora –  português: Convenção sobre Comércio Internacional das Espécies da Flora e Fauna Selvagens em Perigo de Extinção).

 

Anacheilium chacaoense - CITES JPG

CITES – Logotipo

Imagem retirada da internet – Site:
https://mondodeirettili.blogspot.com/2012/04/cites-che-cose.html

 

 

Como a maioria das orquídeas deste gênero, a planta do dia é de fácil cultivo. Abaixo relaciono algumas orientações para quem tiver ou quiser adquirir esta planta:

 

  • A maior parte dos orquidófilos cultiva as plantas deste gênero em vasos rasos de barro. Muito bom porque este material retém umidade e não deixa o substrato encharcado. Porém, eu não recomendo o uso destes vasos, porque os mesmos filtram a água e retém os sais que, com o tempo, prejudicam a planta e dificultam novas floradas.
  • Minha recomendação é para cultivo em cascas ou troncos de árvores, ou ainda em vasos de plástico ou caixetas de madeira. Para os dois últimos casos sugiro que sejam preferencialmente rasos.
  • Em termos de substrato recomendo uma mistura de partes iguais de casca de pinus, carvão vegetal e esfagno.
  • Vale destacar que a grande maioria das espécies de Anacheilium aprecia uma boa umidade ambiente. Por este fato é que sugeri no item anterior a inclusão de esfagno no substrato.
  • Procure cultivar esta orquídea em local com boa ventilação e com sombreamento entre 50 e 60%.
  • Ainda falando sobre ventilação, que é fundamental para o sucesso no cultivo, enfatizo que é muito importante uma boa circulação de ar. Ambientes fechados e abafados representam um irrecusável convite para pragas como ácaros, cochonilhas, pulgões e percevejos, que perfuram as diversas estruturas da planta abrindo passagem para a entrada de fungos, bactérias e vírus.
  • Esta planta gosta de um bom calorzinho. Sugiro cultivo com temperaturas entre 15 e 35 graus. Proteja esta planta nos dias mais rigorosos do inverno.
  • Diminua um pouco o volume das regas quando começarem a aparecer as inflorescências para evitar o apodrecimento dos botões florais.
  • Pode ser dividida como quase todas as orquídeas de crescimento simpodial, cortando o rizoma e deixando pelo menos 3 ou 4 bulbos em cada parte da divisão.
  • Uma boa adubação também é indispensável. Faça isto periodicamente respeitando as orientações dos fabricantes.

 

Aqui na região sul do Brasil floresce normalmente no início da primavera, e cada floração dura em média 30 dias.

 

 

E agora, para finalizar, algumas fotos ilustrativas de dois exemplares de minha coleção:

 

 

Anacheilium chacaoense - out2019 - BLOG (1)

Anacheilium chacaoense

Propriedade e créditos fotográficos:  Juan Pablo Heller (Curitiba – PR)

 

 

 

Anacheilium chacaoense - out2019 - BLOG (4)

Anacheilium chacaoense

Propriedade e créditos fotográficos:  Juan Pablo Heller (Curitiba – PR)

 

 

 

Anacheilium chacaoense - out2019 - BLOG (2)

Anacheilium chacaoense

Propriedade e créditos fotográficos:  Juan Pablo Heller (Curitiba – PR)

 

 

 

Anacheilium chacaoense - out2019 - BLOG (5)

Anacheilium chacaoense

Propriedade e créditos fotográficos:  Juan Pablo Heller (Curitiba – PR)

 

 

 

Anacheilium chacaoense - out2019 - BLOG (6)

Anacheilium chacaoense

Propriedade e créditos fotográficos:  Juan Pablo Heller (Curitiba – PR)

 

 

 

Anacheilium chacaoense - out2019 - BLOG (7)

Anacheilium chacaoense

Propriedade e créditos fotográficos:  Juan Pablo Heller (Curitiba – PR)

 

 

 

Anacheilium chacaoense - out2019 - BLOG (3)

Anacheilium chacaoense

Propriedade e créditos fotográficos:  Juan Pablo Heller (Curitiba – PR)

 

 

 

Anacheilium chacaoense - out2019 - BLOG (8)

Anacheilium chacaoense

Propriedade e créditos fotográficos:  Juan Pablo Heller (Curitiba – PR)

 

 

 

 

 

IMAGENS: fonte pesquisa GOOGLE

Este blog é dedicado a pessoas que, como eu, amam e cultivam orquídeas. Meu objetivo com este trabalho é conhecer pessoas, divulgar e trocar informações sobre estas plantas.

É uma atividade amadora e sem fins lucrativos.

Se você encontrar alguma foto de sua autoria neste blog, e desejar a remoção, por favor envie um e-mail para  que a mesma seja retirada imediatamente. Obrigado.

 

 

IMAGES: GOOGLE search

This blog is dedicated to people who, like me, love and cultivate orchids. My goal with this job is meeting people, disseminate and exchange information on these plants.

It’s a non-profit non-professional activity.

If you find any of your images in this blog, and want it to be removed, please send me an email that I’ll do it immediately. Thank you.

 

 

 

0000-ANUNCIO COLETA CRIME JPG

 

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s