Eria xanthocheila

 

 

Em meados de setembro foi realizada a 114ª Exposição de Orquídeas de Curitiba. Lindo evento realizado no Bosque São Cristóvão, em Santa Felicidade, e que contou com a participação de expositores de vários lugares do Brasil. Um verdadeiro espetáculo de cores, formas e perfumes, que muito agradaram aos visitantes que puderam se maravilhar com a beleza de quase 500 orquídeas.

 

Esta exposição foi muito bem organizada pela APRO (Associação Paranaense de Orquidófilos). Realmente uma honra ter participado desse momento tão especial, no ano em que esta entidade celebra seus 60 anos de existência.

 

Eria xanthocheila - APRO JPG

Associação Paranaense de Orquidófilos

Endereço:  Rua Martim Afonso, 1000 – Curitiba – PR

Telefone:  (41) 3336-3837

Facebook:  APRO – Associação Paranaense de Orquidofilos

 

 

E no meio de tantas orquídeas espetaculares, uma planta em especial me chamou a atenção por suas inflorescências carregadas de pequenas, sedutoras e simpáticas flores. Uma planta fenomenal que justamente foi agraciada com a cobiçada medalha de ouro na categoria “exótica”. Uma verdadeira obra-prima pertencente ao Orquidário Orquiflora, de Sorocaba. Mais uma das tantas maravilhas oriundas do sudeste asiático, e da qual pretendo adquirir um exemplar num futuro próximo. Estou me referindo à Eria xanthocheila…

 

 

… a Eria do labelo amarelo

 

 

Mas antes de falar do gênero e da espécie da planta do dia, quero deixar aqui um sincero agradecimento a minha simpática e cordial amiga Taciana, proprietária do Orquidário Orquiflora, um dos mais completos que conheço, que gentilmente permitiu fotografar sua planta no intuito de ilustrar o tema desta aula. Recomendo, e muito, uma visita a este orquidário.

 

Eria xanthocheila - Orquiflora JPG

Orquidário Orquiflora

Rua Silvana Francisca, 177

Piazza di Roma II – Sorocaba – SP

e-mail: orquiflora.orquideas@gmail.com

facebook: orquiflora

Telefone: (015) 2104-4026

 

 

Então ao trabalho.

 

Eria é um gênero botânico pertencente à familia Orchidaceae, proposto em 1825 pelo botânico inglês John Lindley (1799 – 1865).

 

Como já citado inúmeras vezes, Lindley provavelmente foi o mais renomado de todos orquidólogos. Descreveu centenas de gêneros e espécies, publicou muitos artigos e livros científicos, participou na fundação da revista Gardener’s Chronicle, e em 1857 foi agraciado com a Medalha Real, homenagem da Real Sociedade de Londres para pessoas com importantes contribuições para o avanço do conhecimento da Natureza.

 

Eria xanthocheila - Lindley JPG

John Lindley

Imagem retirada da internet – Site:
https://www.britannica.com/biography/John-Lindley

 

 

Entre suas obras destacam-se os seguintes trabalhos:

  • An Outline of the First Principle of Horticulture – 1832,
  • An Outline of the Structure and Physiology of Plants – 1832,
  • Nixus Plantarum – 1833,
  • A Natural System Botany – 1836,
  • Flora Medica – 1838,
  • Theory oh Horticulture – 1840,
  • The Vegetable Kingdom – 1846,
  • Folia Orchidaceae – 1852 e
  • Descriptive Botany –

 

 

A planta considerada “tipo” para este gênero é atualmente conhecida como Eria javanica, descrita pelo próprio Lindley quando criou o gênero, na ocasião com o nome de Eria stellata.

 

Eria xanthocheila - Eria javanica JPG

Eria  javanica

Imagem retirada da internet – Site:
http://www.ecuagenera.com/Eria-javanica/en

 

 

É um extenso gênero composto por pouco menos de 400 espécies originárias da Ásia Tropical (principalmente sul e sudeste da China, Índia e região do Himalaia), e das ilhas do Pacífico até Fiji, sendo a região conhecida como Polinésia o principal centro de dispersão.

 

Eria xanthocheila - ocorrencia genero JPG

Eria  –  Ocorrência

Imagem retirada da internet – Site:
http://natalienaestrada.blogspot.com/2013/04/o-verdadeiro-mapa-mundi.html

 

 

Intimamente ligado a gêneros como Ceratostylis , Porpax e Trichotosia,  provavelmente Eria seja um dos gêneros mais complexos e de características muito variadas. Isto realmente dificulta uma definição mais objetiva e assertiva. Em termos gerais posso afirmar que algumas das características distintivas do gênero são:

  • Apresentam inflorescências em forma de panícula (1*).
  • Apresentam na coluna das flores 8 polínias divididas em dois grupos de 4.
  • Suas flores apresentam sépalas laterais livres.
  • Apresentam folhas glabras (2*).

(1*) Panícula: tipo de inflorescência muito ramificada na qual os racemos diminuem de tamanho sucessivamente, dando ao conjunto uma aparência cônica ou piramidal.

 

Eria xanthocheila - panicula JPG

Inflorescências em forma de panícula

Imagem retirada da internet – Site:
https://pt.wikipedia.org/wiki/Infloresc%C3%AAncia

 

 

(2*) Folhas glabras: termo utilizado para designar folhas que não apresentam pilosidades ou tricomas em sua superfície externa. Folhas de superfície lisa.

 

Eria xanthocheila - folha glabra JPG

Folha glabra

Imagem retirada da internet – Site:
https://www.biologianet.com/botanica/classificacao-das-folhas.htm

 

 

Pela quantidade de espécies, visando facilitar o estudo, o gênero Eria está dividido em várias seções, como ilustrado na tabela abaixo que elaborei recentemente:

 

Eria xanthocheila - seçoes JPG

 

 

Porém, como acontece com vários gêneros da família Orchidaceae, Eria também está passando por uma rigorosa revisão. Embora nada esteja confirmado, é bem provável que em breve algumas das seções acima mostradas sejam transformadas em novos gêneros, como já ocorre por exemplo com a seção Pinalia.

 

E para aqueles que desejam se aventurar na arte da hibridação, informo abaixo os gêneros pertencentes à subtribo Eriinae, à qual pertence Eria: Ascidieria, Ceratostylis, Cryptochilus, Epiblastus, Mediocalcar, Porpax, Pseuderia, Sarcostoma, Stolzia, Trichotosia e seus híbridos.

 

Eria xanthocheila - cientista JPG

Imagem retirada da internet – Site:
http://colegioformandoliderancas.blogspot.com/2015/02/6-ano-licao-de-casa-de-ciencias-dada-em.html

 

 

São plantas predominantemente epífitas, que eventualmente podem ser encontradas vegetando de forma rupícula ou terrestre. Habitam em diversos biomas e sob condições climáticas bem variadas. Algumas espécies gostam de regiões mais frias, como as encostas do Himalaia, outras preferem temperaturas altas como ocorre nos mangues tropicais.

 

O nome deste gênero, Eria, deriva da latinização da palavra grega érion, que significa “”, referindo-se às fímbrias lanosas (3*) que muitas espécies do gênero apresentam.

(3*) Fímbrias lanosas: termo botânico aplicado a estruturas cobertas com pilosidades, franjas, pelos ou finos apêndices filamentosos que se assemelham à lã.

 

Exemplifico o tema com uma fantástica imagem de Eria lasiopetala que mostra com clareza as citadas fímbrias:

 

Eria xanthocheila - Eria lasiopetala JPG

Eria lasiopetala

Imagem retirada da internet – Site:
https://pt.wikipedia.org/wiki/Eria_lasiopetala

 

 

E agora a orquídea do dia, a fabulosa Eria xanthocheila, descrita em 1907 pelo botânico inglês Henry Nicholas Ridley (1855 – 1956).

 

Eria xanthocheila - Ridley JPG

Henry Nicholas Ridley

Imagem retirada da internet – Site:
https://en.wikipedia.org/wiki/Henry_Nicholas_Ridley

 

 

Especializado em monocotiledôneas, Ridley fez amplas pesquisas em Fernando de Noronha, arquipélago pertencente à região nordeste do Brasil. Porém, seu maior legado foi o trabalho desenvolvido por mais de 20 anos em Cingapura, promovendo principalmente a cultura de seringueiras na Península Malaia, e aumentando significativamente a participação da borracha na economia local. Pela paixão por seu trabalho e pelo fervor que o caracterizou em suas pesquisas, ele foi carinhosamente apelidado de “Mad Ridley”, cuja tradução é “Ridley maluco”.

Abaixo relaciono algumas das tantas obras escritas por este brilhante botânico:

  • Botanical papers, Singapore – 1889,
  • Notes on the Botany of Fernando de Noronha – 1891,
  • Malay plant Names – 1897,
  • Flora of the Malay Peninsula – 1925 e
  • The dispersal of Plants Throughout the World – 1930.

 

Várias espécies de planta e animais foram nomeadas em sua homenagem. Como exemplos cito Diospyros ridleyi, uma árvore da família Ebenaceae que pode chegar a 30 metros altura, e Stenolepis ridleyi, um gênero de lagartos da família Gymnophthalmidae, muito comum na região nordeste do Brasil.

 

Em termos etimológicos o nome desta espécie, xanthocheila, é uma palavra composta derivada do grego: xanthos, que significa “amarelo”, e kheilos, que significa “lábio”, “labelo” numa óbvia referência à cor predominante no labelo das flores desta espécie.

 

 

Entrando na área de taxonomia, a orquídea do dia está inserida na seção Pinalia do gênero Eria. Abaixo mostro a classificação completa desta orquídea:

 

Eria xanthocheila - classificação JPG

 

 

Sinonímia: Eria wichersii e Pinalia xanthocheila.

 

Esta planta é originária da paradisíaca região do sudeste asiático e ilhas do Pacífico, abrangendo o sul da Tailândia, Filipinas, Malásia, Sumatra, Bornéu, Java e Sulawesi. Em seus redutos esta planta vegeta de forma predominantemente epífita, fixada em árvores cobertas de musgo, em florestas sombrias e úmidas localizadas em altitudes inferiores a 1600 metros.

 

Eria xanthocheila - ocorrencia da especie JPG

Eria xanthocheila  –  Ocorrência

Imagem retirada da internet – Site:
http://mapas-asia.com/sudeste-politico.htm

 

 

O principal centro de dispersão desta orquídea fica nas Filipinas, um grande arquipélago localizado no sudeste asiático, formado por mais de sete mil ilhas categorizadas em três divisões geográficas: LuzonVisayas e Mindanao.

 

E dentro das Filipinas o principal reduto desta orquídea é região central de Luzon, abrangendo municípios como, Laguna, Aurora, Nueva Vizcaya, e Zambales.

 

Eria xanthocheila - Filipinas JPG

Eria xnthocheila – Principal reduto

Foto retirada da internet – Site:
www.globalsecurity.org/military/world/philippines/maps.htm

 

 

A orquídea do dia é uma planta de médio porte, crescimento simpodial e que forma lindas touceiras. Possui rizoma grosso, rastejante e ramificado, com raízes cobertas de tecido velame. Os pseudobulbos são bem definidos, possuem formato fusiforme (4*), são cobertos por espessa camada de brácteas, e em termos dimensionais podem chegar a 30cm de comprimento.

(4*) Fusiforme: nome dado a um objeto ou organismo em forma de fuso, ou seja, alongado e com as extremidades mais estreitas que o centro.

 

Eria xanthocheila - pseudobulbos JPG

Eria xanthocheila – Detalhes dos pseudobulbos

Propriedade:  Taciana Figueiredo Lopes – Orquidário Orquiflora (Sorocaba – SP)

Créditos fotográficos:  Juan Pablo Heller (Curitiba – PR)

 

 

Os citados pseudobulbos são normalmente bifoliados, mas podem ocasionalmente carregar até 5 folhas. Estas apresentam formato lanceolado (5*), são conduplicadas (6*) e podem chegar 18,0cm de comprimento por 2,8cm de largura.

 

(5*) Lanceolado: em forma de lança. Que tem base larga e se afina em direção à extremidade.

(6*) Conduplicada: termo botânico aplicado à folha dobrada em duas partes sobre o eixo de simetria longitudinal.

 

As inflorescências são fantásticas. Curtas hastes florais em forma de panícula, arqueadas e que também brotam do ápice dos pseudobulbos (podendo chegar a três hastes por bulbo maduro), que possuem entre 5 e 10cm de comprimento, e que suportam até 30 pequenas flores de aproximadamente 1,5cm de diâmetro.

 

As flores são maravilhosas. Apresentam o típico formato estrelado e um perfume suave, adocicado e muito sedutor. Suas sépalas são maiores do que as pétalas, todas de formato similar e cobertas por finas e curtas fimbrias lanosas, o que também ocorre em outras partes da planta. Em termos de cores, sépalas e pétalas são delicadamente desenhadas com listras longitudinais de cor bordô sobre um branco translúcido. No labelo trilobado estas mesmas cores contrastam com um amarelo intenso do lóbulo médio, responsável pelo apelido dado a esta orquídea: “a Eria do labelo amarelo”. Sem dúvidas uma linda pintura… uma fantástica e harmônica combinação de cores.

 

Eria xanthocheila - Flor JPG

Eria xanthocheila – Estrutura florais

Propriedade:  Taciana Figueiredo Lopes – Orquidário Orquiflora (Sorocaba – SP)

Créditos fotográficos:  Juan Pablo Heller (Curitiba – PR)

 

 

As cores acima descritas são da forma “tipo” da espécie, existindo uma grande variedade de tonalidades e pinturas, principalmente nas pétalas e sépalas, cuja base às vezes tende mais para um verde claro e translúcido.

 

Por ser originária de uma pequena região geográfica, e pela ação predatória do homem, com a coleta irregular de exemplares para fins ornamentais e comerciais, Eria xanthocheila é uma das tantas orquídeas pertencentes ao temido rol das plantas com risco de extinção (Apêndice II). Esta lista é gerada pela CITES (inglês: Convention on International Trade in Endangered Species of Wild Fauna and Flora –  português: Convenção sobre Comércio Internacional das Espécies da Flora e Fauna Selvagens em Perigo de Extinção).

 

Eria xanthocheila - cites JPG

CITES – Logotipo

Imagem retirada da internet – Site:
https://mondodeirettili.blogspot.com/2012/04/cites-che-cose.html

 

 

Como a maioria das orquídeas deste gênero, a planta do dia é de fácil cultivo, principalmente para quem mora nas regiões sul e sudeste do Brasil. Abaixo relaciono algumas orientações para quem tiver ou quiser adquirir esta planta:

 

  • A maior parte dos orquidófilos cultiva as plantas deste gênero em vasos rasos de barro. Muito bom porque este material retém umidade e não deixa o substrato encharcado. Porém, eu não recomendo o uso destes vasos, porque os mesmos filtram a água e retém os sais que, com o tempo, prejudicam a planta e dificultam novas floradas.
  • Minha recomendação é para cultivo em cascas ou troncos de árvores, ou ainda em vasos de plástico ou caixetas de madeira. Para os dois últimos casos sugiro que sejam preferencialmente rasos.
  • Em termos de substrato recomendo uma mistura de partes iguais de casca de pinus, carvão vegetal e esfagno.
  • Vale destacar que a grande maioria das espécies de Eria aprecia uma boa umidade ambiente. Por este fato é que sugeri no item anterior a inclusão de esfagno no substrato.
  • Procure cultivar esta orquídea em local com boa ventilação e com sombreamento entre 50 e 60%.
  • Ainda falando sobre ventilação, que é fundamental para o sucesso no cultivo, enfatizo que é muito importante uma boa circulação de ar. Ambientes fechados e abafados representam um irrecusável convite para pragas como ácaros, cochonilhas, pulgões e percevejos, que perfuram as diversas estruturas da planta abrindo passagem para a entrada de fungos, bactérias e vírus.
  • Sugiro cultivo com temperaturas entre 15 e 35 graus. Proteja esta planta nos dias mais rigorosos do inverno.
  • Diminua um pouco o volume das regas quando começarem a aparecer as inflorescências para evitar o apodrecimento dos botões florais.
  • Pode ser dividida como quase todas as orquídeas de crescimento simpodial, cortando o rizoma e deixando pelo menos 3 ou 4 bulbos em cada parte da divisão.
  • Uma boa adubação orgânica e inorgânica também é indispensável. Faça isto periodicamente, respeitando as orientações dos fabricantes.

 

Aqui no sul do Brasil floresce normalmente entre o final do inverno e o começo da primavera, e cada floração dura em média 20 dias.

 

A seguir relaciono algumas fotos ilustrativas, começando com o exemplar premiado de minha amiga Taciana:

 

 

Eria xanthocheila - Orquidario Orquiflores - Sorocaba - set2019 (2)

Eria xanthocheila

Propriedade:  Taciana Figueiredo Lopes – Orquidário Orquiflora (Sorocaba – SP)

Créditos fotográficos:  Juan Pablo Heller (Curitiba – PR)

 

 

 

Eria xanthocheila - Orquidario Orquiflores - Sorocaba - set2019 (1)

Eria xanthocheila

Propriedade:  Taciana Figueiredo Lopes – Orquidário Orquiflora (Sorocaba – SP)

Créditos fotográficos:  Juan Pablo Heller (Curitiba – PR)

 

 

 

Eria xanthocheila - Orquidario Orquiflores - Sorocaba - set2019 (3)

Eria xanthocheila

Propriedade:  Taciana Figueiredo Lopes – Orquidário Orquiflora (Sorocaba – SP)

Créditos fotográficos:  Juan Pablo Heller (Curitiba – PR)

 

 

 

Eria xanthocheila - Orquidario Orquiflores - Sorocaba - set2019 (4)

Eria xanthocheila

Propriedade:  Taciana Figueiredo Lopes – Orquidário Orquiflora (Sorocaba – SP)

Créditos fotográficos:  Juan Pablo Heller (Curitiba – PR)

 

 

 

E agora, para finalizar, mais algumas fotos, estas retiradas da internet:

 

 

 

Eria xanthocheila - FOTO 1

Foto retirada da internet – Site:
http://www.aaorchids.com/orchids-by-genus/eria/eria-xanthocheila/

 

 

 

 

Eria xanthocheila - FOTO 2

Foto retirada da internet – Site:
http://powo.science.kew.org/taxon/urn:lsid:ipni.org:names:77098876-1

 

 

 

 

Eria xanthocheila - FOTO 3

Foto retirada da internet – Site:
https://www.earth.com/earthpedia/plant/tl/pinalia-xanthocheila/

 

 

 

 

IMAGENS: fonte pesquisa GOOGLE

Este blog é dedicado a pessoas que, como eu, amam e cultivam orquídeas. Meu objetivo com este trabalho é conhecer pessoas, divulgar e trocar informações sobre estas plantas.

É uma atividade amadora e sem fins lucrativos.

Se você encontrar alguma foto de sua autoria neste blog, e desejar a remoção, por favor envie um e-mail para  que a mesma seja retirada imediatamente. Obrigado.

 

IMAGES: GOOGLE search

This blog is dedicated to people who, like me, love and cultivate orchids. My goal with this job is meeting people, disseminate and exchange information on these plants.

It’s a non-profit non-professional activity.

If you find any of your images in this blog, and want it to be removed, please send me an email that I’ll do it immediately. Thank you.

 

 

0000-ANUNCIO COLETA CRIME JPG

 

 

 

 

 

12 pensamentos sobre “Eria xanthocheila

  1. Boa Noite. Primeiro meu agradecimento por seus emails tão bons e informativos, sobre as orquídeas. E neste você nos informou sobre o genêro Eria da qual tenho apenas um exemplar e que não vi vc citar: Eria Hyacinthoides. Seria uma híbrida?

    Curtir

  2. Parabéns pelo trabalho! Realmente uma aula e tanto sobre o assunto.
    Ficamos felizes em participar da exposição de Curitiba, onde nossa equipe foi muito bem recebida. Estamos maravilhados com o nível do evento e a organização.
    Esperamos que em uma próxima ocasião tenhamos mais tempo juntos, pois a nossa troca de experiências foi um imenso prazer. Conte sempre conosco e sucesso!
    Muito obrigada, um grande abraço

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s