Dendrobium goldschmidtianum

 

 

Hoje é comemorado o “dia dos pais” aqui no Brasil. Ocasião festiva em que as famílias se reúnem para celebrar esta data tão especial.

E para mim não é diferente. Dia de almoçar com minhas queridas filhas e esposa. Dia de confraternização e amor. A festa só não será completa pela ausência de meu querido pai, que se foi alguns anos atrás… muitas saudades.

Deixo aqui meu apertado abraço para todos os papais que acompanham e seguem este blog. Que todos tenham um dia maravilhoso, pleno em felicidades.

 

Dendrobium goldschmidtianum - dia dos pais JPG

Imagem superior retirada da internet – Site:
https://www.selecoes.com.br/inspiracao/dia-dos-pais-um-dia-para-se-emocionar/

 

 

E agora foco nas orquídeas. Hoje vou falar de uma planta espetacular. Uma planta de harmoniosos e longos bulbos pendentes forrados de pequenas flores de cores fortes e vibrantes. Uma planta oriunda do sudeste asiático e que aos poucos vem ganhando fama e conquistando orquidófilos espalhados por todo o Brasil. Uma planta imponente e fácil de cultivar. Uma planta que recomendo para todos os colecionadores e admiradores de orquídeas. Estou me referindo ao Dendrobium goldschmidtianum …

 

 

… uma obra-prima de Batanes

 

 

Dendrobium (abreviatura: Den.), é um gêneros pertencente à família Orchidaceae composto por espécies originárias do sudeste asiático e da Oceania.

 

Dendrobium goldschmidtianum - ocorrencia genero JPG

Dendrobium –  Ocorrência

Imagem retirada da internet – Site:
https://br.pinterest.com/pin/355151120595052298/

 

 

As orquídeas deste gênero vegetam normalmente de forma epífita, raramente rupícula ou terrestre, em florestas primárias, florestas pantanosas e florestas de mangues, em regiões onde existe uma estação de seca bem definida. A Nova Guiné é o principal centro de dispersão das espécies deste gênero.

 

Dendrobium goldschmidtianum - Nova Guine JPG

Nova Guiné  –  Paisagem típica

Imagem retirada da internet – Site:
https://www.costacruzeiros.com/paises/papua-nova-guine.html

 

 

Com certeza trata-se de um dos gêneros mais difundidos, cultivados e comercializados, sendo um dos campões de vendas em todo o mundo, perdendo apenas para o gênero Phalaenopsis. E existem razões para isto:

  • O porte altivo e elegante da planta;
  • As inflorescências carregadas de lindas flores;
  • As fantásticas combinações de cores de suas flores;
  • O simpático e cativante formato de suas flores;
  • O encantador perfume da maioria de suas espécies;
  • O tempo de duração das flores, que normalmente gira em torno de 30 dias;
  • A resistência e a facilidade de cultivo.
  • A fácil adaptação a diversas condições climáticas.

 

 

Aqui no Brasil a espécie mais difundida deste gênero é o Dendrobium nobile, conhecido popularmente como “olho-de-boneca”, que na passagem do inverno para a primavera adorna com maestria os jardins de muitas casas aqui na região sul do Brasil.

 

Dendrobium goldschmidtianum - Dendrobium nobile JPG

Dendrobium nobile

Planta de minha coleção

Créditos fotográficos:  Juan Pablo Heller (Curitiba – PR)

 

 

O nome deste gênero  deriva da união de duas palavras gregas: dendron, que significa “árvore”, e bios, que significa “vida”; numa referência à maneira como vivem a maioria das espécies deste gênero, ou seja, a sua natureza epífita.

 

O primeiro nome utilizado para as espécies deste gênero foi Callista, proposto em 1790 pelo jesuíta, missionário, paleontologista, médico e botânico português João de Loureiro (1710 – 1791).

 

Padre João de Loureiro foi um personagem notável. Desenvolveu boa parte de seu brilhante trabalho na Cochinchina, atual região sul do Vietnã, para onde foi enviado em missão jesuítica com o objetivo de evangelizar o povo local, e onde residiu por 36 anos.

 

Loureiro descreveu uma quantidade imensa de plantas, e escreveu muitos livros e textos técnicos de grande valor científico. “Flora Cochinchinensis” foi um de seus principais trabalhos, que ainda hoje é considerado um estupendo legado para a botânica.

 

Dendrobium goldschmidtianum - Flora Cochinchinensis JPG

Capa do livro  “Flora Cochinchinensis

Imagem retirada da internet - Site:
https://pt.wikipedia.org/wiki/Jo%C3%A3o_de_Loureiro

 

 

Nove anos depois, em 1799, o botânico sueco Olof Peter Swartz (1760 – 1818), sugeriu o nome Dendrobium.

 

Swartz foi o primeiro botânico dedicado exclusivamente às orquídeas, e é considerado o segundo maior botânico sueco, atrás apenas do imbatível Linnaeus, já citado em postagens anteriores. Swartz foi um taxonomista brilhante e descreveu vários gêneros, como Oncidium, Stelis, Lephante, Malaxis, Cranichis e Vanilla.

 

Dendrobium goldschmidtianum - Swartz JPG

Olof Peter Swartz

Imagem retirada da internet - Site:
http://www.huntbotanical.org/OrderFromChaos/OFC-Pages/03The%20Linnaean%20inheritance/students/Swartz.shtml

 

 

Dendrobium já foi um dos maiores gêneros da família Orchidaceae, com mais de 1200 espécies que, por sua complexidade e quantidade de exemplares, foi dividido em aproximadamente 40 seções.  Porém, em 2002 os botânicos australianos Mark A. Clements e David Lloyd Jones publicaram uma revisão completa deste gênero. Assim, apenas 450 espécies permaneceram em Dendrobium.

 

Dendrobium goldschmidtianum - seçoes JPG

 

 

Dendrobium é composto por uma grande variedade de orquídeas, com plantas que vão desde as rastejantes, com poucos centímetros de altura, até as gigantes, com bulbos em forma de cana que podem passar de dois metros de altura. Suas flores também apresentam uma grande diversidade de tamanhos, formas e cores. Realmente um gênero espetacular e que não pode faltar em nenhuma coleção.

 

E para aqueles que desejam se aventurar na arte da hibridação, informo abaixo os gêneros pertencentes à subtribo Dendrobiinae, à qual pertence Dendrobium: Bulbophyllum, Cadetia, Cirrhopetalum, Chaseella, Dactylorhynchus, Diplocaulobium, Drymoda, Epigeneium, Flickingeria, Genyorchis, Jejosephia, Monomeria, Monosepalum, Pedilochilus, Saccoglossum, Sunipia, Trias e seus híbridos. Como exemplo cito o gênero Dendroberia, oriundo do cruzamento de um Dendrobium com uma Flickingeria.

 

Dendrobium goldschmidtianum - cientista JPG

Imagem retirada da internet – Site:
http://colegioformandoliderancas.blogspot.com/2015/02/6-ano-licao-de-casa-de-ciencias-dada-em.html

 

 

E finalmente vamos ao estudo da orquídea do dia, o Dendrobium goldsmidtianum, descrito em 1909 pelo botânico alemão Friedrich Wilhelm Ludwig Kraenzlin (1847 – 1934).

Kraenzlin (abrev.: Kraenzl.), foi um brilhante orquidófilo e seguidor do trabalho de seu renomado compatriota Heinrich Gustav Reichembach. Dedicou boa parte de sua vida ao estudo das orquídeas da região sul da África, com ênfase a gêneros de habitat terrestre, como DisaDisperis e Habenaria.

Sua fantástica obra Genera et Species nunca foi terminada, tendo publicado apenas o volume referente aos três gêneros citados.

 

Esta magnífica orquídea é originária da pequena área que abrange Taiwan e a região norte das Filipinas, mais especificamente Luzon, uma das três divisões geográficas do país.

 

Dendrobium goldschmidtianum - ocorrencia especie JPG

Dendrobium goldschmidtianum  –  Ocorrência

Imagem retirada da internet – Site:
http://mapas-asia.com/sudeste-politico.htm

 

 

O principal reduto desta magnífica orquídea é a paradisíaca região de Batanes, província insular mais setentrional do arquipélago filipino, localizada a aproximadamente 160km de Luzon e 190km de Taiwan.

 

Dendrobium goldschmidtianum - Batanes JPG

Batanes – Paisagem típica

Imagem retirada da internet – Site:
https://villageconnectph.com/history-batanes-islands/

 

 

Trata-se de uma planta de hábito epífita que pode ser encontrada vegetando em florestas de sombrias e úmidas localizadas em altitudes inferiores a mil metros.

Um dos principais hospedeiros para a orquídea do dia são as árvores e arbustos do gênero Ficus, um dos maiores do reino vegetal, com mais de 750 espécies, e que engloba as conhecidas figueiras.

 

Dendrobium goldschmidtianum - Ficus JPG

Ficus benjamina, originário da Ásia e conhecido no Brasil como figueira-benjamim

Imagem retirada da internet – Site:
https://produto.mercadolivre.com.br/MLB-721959430-figueira-benjamin-ficus-benjamina-sementes-para-mudas-_JM?quantity=1

 

 

O nome desta espécie é uma homenagem a Mr. Goldschmidt, orquidófilo alemão responsável pela descoberta desta orquídea nas Filipinas.

 

Sinonímia: Dendrobium hainanense; Dendrobium irayense; Dendrobium miyakei; Dendrobium pseudohainanense; Dendrobium victoria-reginae Loher var. miyakei; Pedilonum goldschmidtianum e Pedilonum miyakei.

 

Dendrobium goldschmidtianum pertence à seção Pedilonum de Dendrobium, que engloba algo em torno de 30 espécies. Estas orquídeas possuem como principais características distintivas as lindas inflorescências em bulbos pendentes, forradas de pequenas flores de cores muito intensas, como alaranjado, vermelho e violeta. Esta seção inclui espécies como Dendrobium bracteosum, Dendrobium bullenianum, Dendrobium secundum, Dendrobium smilliae e Dendrobium victoria-reginae, que utilizo para ilustrar o tema:

 

Dendrobium goldschmidtianum - Dendrobium victoria-reginae JPG

Dendrobium victoria-reginae 

Imagem retirada da internet – Site:
http://www.eerikas-bilder.de/orchideen/Dendrobium_Epigeneium/dendrobium/7/dendrobium_victoriareginae.htm

 

 

Por sua beleza, robusteza e facilidade de cultivo, Dendrobium goldschmidtianum  tem sido muito utilizado na geração de híbridos. Aqui no Brasil é bastante comum encontrar em floriculturas e orquidários o Dendrobium usitae, que é um híbrido natural envolvendo a planta do dia:

 

Dendrobium goldschmidtianum - arvore JPG

 

 

Dendrobium goldschmidtianum - Dendrobium usitae JPG

Dendrobium usitae ‘Red Coral’ 

Planta de minha coleção

Créditos fotográficos:  Juan Pablo Heller (Curitiba – PR)

 

 

Dendrobium goldschmidtianum  é uma planta de crescimento simpodial e médio porte, que forma robustas e encantadoras touceiras. Seu rizoma é grosso e ramificado, com raízes cobertas por tecido velame. Possui longos, finos e roliços pseudobulbos em formato típico de cana e que podem chegar a 70cm de comprimento por 2,2cm de diâmetro.

 

Planta decídua (*1) que possui folhas de formato elíptico distribuídas de forma alternada sobre os citados bulbos. Em termos dimensionais estas folhas podem chegar a 7,5cm de comprimento por 3,0cm de largura.

(*1) Decídua, também chamada de caducifólia ou caduca, é o nome dado a plantas que em certas estações do ano perdem todas suas folhas.

 

Dendrobium goldschmidtianum - pseudobulbo JPG

Dendrobium goldschmidtianum – Pseudobulbo

Planta de minha coleção

Créditos fotográficos:  Juan Pablo Heller (Curitiba – PR)

 

 

As inflorescências são maravilhosas. Curtas hastes florais que brotam dos nós existentes na parte terminal dos pseudobulbos, e com comprimento que varia entre 3 e 8cm, suportando entre 4 e 8 simpáticas flores suavemente perfumadas e com diâmetro de aproximadamente 1,5cm, entrando na classificação de mini-orquídea.

 

As flores são maravilhosas. Um verdadeiro capricho da natureza proporcionando uma espetacular combinação de formas, desenhos e cores. Sépalas um pouco mais largas do que as pétalas, numa harmoniosa figura de formato estrelado. Em termos de cores uma ampla predominância de cor que varia entre rosa e lilás, com listras longitudinais de uma tonalidade mais forte da mesma cor em todas as estruturas. Na foto abaixo tento mostrar as citadas estruturas:

 

Dendrobium goldschmidtianum - flor JPG

Dendrobium goldschmidtianum  –  Estruturas da flor

Planta de minha coleção

Créditos fotográficos:  Juan Pablo Heller (Curitiba – PR)

 

 

Por ser originária de uma diminuta região geográfica, pelo avanço da especulação imobiliária, pela expansão das fronteiras agrícolas, pelas queimadas e, principalmente pela ação predatória do homem com a coleta irregular de exemplares para fins ornamentais e comerciais, Dendrobium goldschmidtianum é mais uma das tantas orquídeas pertencentes ao temido rol das plantas com risco de extinção (Apêndice II). Esta lista é gerada pela CITES (inglês: Convention on International Trade in Endangered Species of Wild Fauna and Flora –  português: Convenção sobre Comércio Internacional das Espécies da Flora e Fauna Selvagens em Perigo de Extinção).

 

Dendrobium goldschmidtianum - Cites JPG

CITES – Logotipo

Imagem retirada da internet – Site:
https://mondodeirettili.blogspot.com/2012/04/cites-che-cose.html

 

 

A seguir relaciono algumas dicas básicas para o sucesso no cultivo desta orquídea:

 

  • A melhor forma de cultivo é fixada em árvores, ou então em cascas, troncos ou galhos, e com muitas raízes expostas.
  • Porém, se sua opção for por cultivo em vaso ou caixeta, então utilize um substrato confeccionado com partes iguais de casca de pinus, carvão vegetal e pedra brita, acrescendo ainda um pouco de esfagno. Importante: por possuir pseudobulbos pendentes, o cultivo deve ser de forma suspensa.
  • A planta do dia não suporta raízes encharcadas. Portanto, se você optou por cultivo em vasos, utilize recipientes baixos, com pouco substrato e rápida drenagem.
  • Esta orquídea não pode ser cultivada a sol pleno. Recomendo algo em torno de 50% de sombreamento.
  • Em termos de temperaturas este Dendrobium gosta de calor. Sugiro cultivo entre 15 e 35 graus. Proteja a planta nos dias mais rigorosos do inverno.
  • Diminua sensivelmente o volume e a periodicidade das regas durante o inverno.
  • Outra questão muito importante é a circulação de ar. Ambientes fechados e abafados representam um irrecusável convite para pragas como cochonilhas, pulgões e percevejos, que perfuram as diversas estruturas da planta abrindo passagem para a entrada de fungos, bactérias e vírus. Manter a planta em local ventilado é fundamental para o sucesso no seu cultivo.
  • Pode ser dividida como quase todas as orquídeas de crescimento simpodial, cortando o rizoma e deixando pelo menos 3 ou 4 bulbos em cada parte da divisão.
  • Ainda, pelo formato de seus bulbos é possível fazer a produção de Dendrobium goldschmidtianum pelo processo de estaquia (*2).
  • Não esqueça de adubar periodicamente.

 

(*2) Estaquia: processo utilizado para reprodução de orquídeas, muito empregado principalmente em plantas dos gêneros Epidendrum e Dendrobium. Para tanto basta retirar bulbos velhos da planta e cortá-los entre os nós, em pequenos pedaços que, acomodados sobre uma “cama de esfagno” ou similar, rapidamente começarão a produzir novas plantas.

 

Aqui no sul do Brasil floresce normalmente em pleno inverno, e sua floração dura em média 20 dias. Se bem cultivada pode brindar seu proprietário com uma segunda floração no mesmo ano. Recomendo !!!

 

 

A seguir relaciono algumas imagens ilustrativas, começando com algumas fotos do exemplar de minha coleção.

 

 

Dendrobium goldschmidtianum - jul2019 (5)

Dendrobium goldschmidtianum

Propriedade e créditos fotográficos:  Juan Pablo Heller (Curitiba – PR)

 

 

 

Dendrobium goldschmidtianum - jul2019 (3)

Dendrobium goldschmidtianum

Propriedade e créditos fotográficos:  Juan Pablo Heller (Curitiba – PR)

 

 

 

Dendrobium goldschmidtianum - jul2019 (1)

Dendrobium goldschmidtianum

Propriedade e créditos fotográficos:  Juan Pablo Heller (Curitiba – PR)

  

 

 Dendrobium goldschmidtianum - jul2019 (11)

Dendrobium goldschmidtianum

Propriedade e créditos fotográficos:  Juan Pablo Heller (Curitiba – PR)

 

 

 

E agora para finalizar mais algumas fotos, estas retiradas da internet:

 

 

 

Resultado de imagem para Dendrobium goldschmidtianum

Foto retirada da internet – Site:
https://orquidarioemanuel.com.br/produto/dendrobium-goldschmidtianum/

 

 

Resultado de imagem para Dendrobium goldschmidtianum

Foto retirada da internet – Site:
https://travaldo.blogspot.com/2018/05/dendrobium-goldschmidtianum-orchid-plant-care-and-culture.html

 

 

Resultado de imagem para Dendrobium goldschmidtianum

Foto retirada da internet – Site:
https://www.darkstarorchids.com.au/Dendrobium-goldschmidtianum

 

 

Foto retirada da internet – Site:
https://commons.wikimedia.org/wiki/Dendrobium_goldschmidtianum

 

 

Foto retirada da internet – Site:
https://commons.wikimedia.org/wiki/Dendrobium_goldschmidtianum

 

 

Resultado de imagem para Dendrobium goldschmidtianum

Foto retirada da internet – Site:
https://www.biolib.cz/en/image/id310805/

 

 

 

 

IMAGENS: fonte pesquisa GOOGLE

Este blog é dedicado a pessoas que, como eu, amam e cultivam orquídeas. Meu objetivo com este trabalho é conhecer pessoas, divulgar e trocar informações sobre estas plantas.

É uma atividade amadora e sem fins lucrativos.

Se você encontrar alguma foto de sua autoria neste blog, e desejar a remoção, por favor envie um e-mail para  que a mesma seja retirada imediatamente. Obrigado.

 

IMAGES: GOOGLE search

This blog is dedicated to people who, like me, love and cultivate orchids. My goal with this job is meeting people, disseminate and exchange information on these plants.

It’s a non-profit non-professional activity.

If you find any of your images in this blog, and want it to be removed, please send me an email that I’ll do it immediately. Thank you.

 

 

0000-ANUNCIO COLETA CRIME JPG

 

 

 

 

 

Anúncios

6 pensamentos sobre “Dendrobium goldschmidtianum

  1. Parabéns pelo seu dia. Um pai amoroso, dedicado, amigo e muito generoso. Desejo muitas saúde, sucesso e muitas orquídeas. E, quanto a aula de hoje, é simplesmente maravilhosa, mais uma explicação com muito esmero e dedicação.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s