Campylocentrum aromaticum

 

Hoje vou falar de uma planta pertencente a um gênero que poucos conhecem, mas que quase todos já viram e não sabiam que se tratava de uma orquídea. Um gênero que considero fenomenal e cheio de atrativos, mas que é bastante desprezado e ignorado no meio da orquidofilia. Uma planta de médio porte e minúsculas flores. Estou me referindo ao Campylocentrum aromaticum

 

 

… uma miniatura de gigantesca beleza

 

 

Campylocentrum (abreviatura: Cmplcn.), é um gênero pertencente à família Orchidaceae, proposto em 1881 pelo botânico inglês George Bentham (1800 – 1884).

 

Campylocentrum aromaticum - Bentham JPG

George Bentham

Imagem retirada da internet – Site:
https://pt.wikipedia.org/wiki/George_Bentham

 

 

Bentham foi uma dessas pessoas geniais. Aos 10 anos de idade já falava fluentemente inglês, francês, russo, alemão e sueco. Posteriormente estudou hebraico, matemática, direito e botânica, ou seja, ciências humanas, exatas e biológicas. Só isso.

Na botânica, Bentham é considerado um dos maiores sistematas de todos os tempos. O seu fantástico herbário, com mais de cem mil espécies de plantas, existe até hoje dentro do Royal Botanic Gardens, Kew, próximo a Londres. Seu maior e mais importante trabalho foi “Genera Plantarum”, iniciado em 1862 e concluído em 1883, realizado junto com o também botânico inglês Joseph Dalton Hooker.

Bentham foi secretário da RHS (Royal Horticultural Society) e chegou ao cargo de presidente a Linnean Society of London, sociedade científica dedicada ao estudo e a divulgação da história natural, evolução e taxonomia.

 

Campylocentrum aromaticum - Linnean Society of London JPG

Linnean Society of London – Logotipo

Imagem retirada da internet – Site:
www.heraldry-wiki.com/heraldrywiki/index.php/Linnean_Society_of_London

 

 

Muitas espécies atualmente classificadas como Campylocentrum originariamente foram vinculadas ao gênero Angraecum. E o primeiro deles foi batizado em 1835 pelo botânico inglês John Lindley (1799 – 1865), como Angarecum micranthum, atualmente conhecido como Campylocentrum micranthum. Isto se deve ao fato das espécies de ambos os gêneros apresentarem forma de crescimento monopodial, com flores de formato estrelado e com total predominância da cor branca. Tempos depois, pelas diferenças morfológicas e até pela região de ocorrência (Angraecum na África e Campylucentrum nas Américas), foram corretamente desmembrados.

 

Campylocentrum aromaticum - Campylocentrum micranthum JPG

Campylocentrum micranthum

Foto retirada da internet – Site:
https://pt.wikipedia.org/wiki/Campylocentrum

 

 

Apesar do comentado, a planta considerada “tipo” para o gênero é o Campylocentrum schiedei, na época chamada de Todaroa micrantha.

 

Campylocentrum aromaticum - Campylocentrum schiedei JPG

Campylocentrum schiedei 

Foto retirada da internet – Site:
http://www.orchidspecies.com/campschiedei.htm

 

 

Como é possível ver nas imagens acima apresentadas, uma das principais características das flores de Campylocentrum são as diminutas flores de cor branca. Realmente as diversas espécies deste gênero são muito parecidas, tornando muito difícil a correta identificação. Aliás, estas flores chegam a ser tão pequenas que muitas vezes são difíceis de ver a olho nu. É o caso do Campylocentrum insulare, a menor orquídea do mundo conhecida atualmente.

 

Só por curiosidade, o Campylocentrum insulare foi descoberto pelo biólogo e pesquisador Carlos Siqueira, da Universidade Federal de Santa Catarina. Esta descoberta é recente, foi feita em 2010, e foi de forma acidental. O pesquisador viu uma minúscula mancha branca sobre uma planta e pensou tratar-se de um fungo. Era uma flor… a menor orquídea do mundo com menos de meio milímetro de diâmetro. O nome da espécie, insulare, é uma homenagem a Florianópolis. Na foto abaixo, feita pelo próprio Carlos Siqueira com ajuda de um microscópio e ampliada centena de vezes, podemos ver a beleza desta flor.

 

Campylocentrum aromaticum - Campylocentrum insulare JPG

Campylocentrum insulare

Foto retirada da internet – Site:
http://horadesantacatarina.clicrbs.com.br/sc/geral/noticia/2015/04/pesquisador-da-ufsc-encontra-menor-flor-de-orquidea-ja-registrada-no-mundo-cientifico-4735095.html

 

 

Assim como ocorre com todas as vandáceas (orquídeas de crescimento monopodial), as espécies de Campylocentrum também não possuem pseudobulbos. Inclusive, ainda no campo das curiosidades, existe uma espécie que também é desprovida de folhas. É o Campylocentrum grisebachii, uma planta realmente interessante e que é muito difícil de encontrar quando não está florida. Ilustro o tema com uma fantástica imagem feita pelo fotógrafo Paulo Schwirkowski (Flora SBS) encontrada no Flora Digital:

 

Campylocentrum aromaticum - Campylocentrum grisebachii JPG

Campylocentrum grisebachii 

Foto retirada da internet – Site:
http://www.ufrgs.br/fitoecologia/florars/open_sp.php?img=7267

 

 

Muitas vezes ouvi pessoas comentando não saber que as plantas deste gênero eram orquídeas. Algumas inclusive chegaram a afirmar que pensavam tratar-se de uma “praga”, um tipo de “parasita”. Caramba !!! Pobre Campylocentrum.

 

Lembro que a maioria das orquídeas possui hábito epífita, ou seja, vegetam fixadas em troncos ou galhos de árvores. Porém, elas não sugam a seiva do seu hospedeiro, como fazem as plantas parasitas, vivendo em perfeita harmonia com este num processo simbiótico (processo em que um ou ambos são beneficiados, sem prejuízos ao outro). Exemplifico abaixo:

 

Exemplos de epifitismo: orquídeas, bromélias e samambaias.

 

Campylocentrum aromaticum - Epifita JPG

Dendrobium nobile, conhecida popularmente como orquídea olho-de-boneca

Foto retirada da internet – Site:
http://www.comocuidardeorquidea.com/10-principais-dicas-de-cultivo-de-orquideas/

 

 

Exemplos de parasitismo: erva-de-passarinho, cipó-chumbo e visco.

 

Campylocentrum aromaticum - Parasita JPG

Phrygilanthus acutifolius, uma das tantas plantas conhecidas popularmente como erva-de-passarinho.

Foto retirada da internet – Site:
http://www.engeplus.com.br/noticia/geral/2013/rvores-do-parque-centenario-sao-ameacadas-por-erva-parasita/

 

 

Este maravilhoso gênero é formado por aproximadamente 80 espécies, todas de crescimento monopodial e com minúsculas flores. São plantas de hábito predominantemente epífita, mas que ocasionalmente podem ser encontradas vegetando sobre rochas, de forma rupícula.

 

Em termos de distribuição o gênero Campylocentrum pode ser encontrado na extensa área que se estende desde o México até a Argentina, sendo o Brasil seu principal reduto com a existência de metade destas espécies, distribuídas por quase todos os estados do país. O principal centro de dispersão das plantas deste gênero é a região compreendida pelo bioma Mata Atlântica das regiões sudeste e sul do Brasil.

 

Campylocentrum aromaticum - ocorrencia genero JPG

Campylocentrum  –  Ocorrência

Imagem retirada da internet – Site:
http://www.imagui.com/a/imagenes-de-el-mapa-de-las-3-americas-cyEao8Exo

 

 

Normalmente são encontradas em florestas sombrias e de elevado índice de umidade, em altitudes que variam desde o nível do mar até 2.200 metros.

 

Em termos etimológicos Campylocentrum, o nome deste gênero, deriva da latinização de duas palavras gregas: kampylos, que significa “curvado“, e kentron, que significa “esporão“, em referência à espora do labelo que é curva, comprida e fina.

 

Para aqueles que desejam se aventurar na arte da hibridação, embora eu não conheça híbridos envolvendo espécies de Campylocentrum, informo abaixo os gêneros pertencentes à subtribo Angraecinae, a mesma a qual pertence este gênero: Aeranthes, Ambrella, Angraecum, Bonniera, Calyptrochilum, Cryptopus, Dendrophylax,  Jumellea, Lemurella, Lemurorchis, Neobathiea, Oeonia,Oeoniella, Ossiculum, Podangis, Sobennikoffia e seus híbridos.

 

E agora vamos ao estudo da planta do dia, o fantástico Campylocentrum aromaticum, descrito em 1907 por João Barbosa Rodrigues (1842 – 1909).

 

Campylocentrum aromaticum - Rodrigues JPG

João Barbosa Rodrigues

Imagem retirada da internet – Site:
http://aplicacoes.jbrj.gov.br/historic/barb_rod.htm

 

 

Nascido no Rio de Janeiro e criado em Campanha, no interior de Minas Gerais, ele foi um dos maiores cientistas brasileiros de todos os tempos. Obcecado por conhecimento, estudou e trabalhou com antropologia, arqueologia, química, farmácia, etnografia, linguística e botânica, com grande ênfase na família Orchidaceae.

Barbosa Rodrigues, como ficou mundialmente conhecido, organizou e dirigiu o Jardim Botânico de Manaus, e posteriormente tornou-se diretor do Jardim Botânico do Rio de Janeiro. Sua obra mais importante foi um trabalho sobre orquídeas, em três volumes, “Genera et species orchidearum novarum”, publicado em 1881.

 

Campylocentrum aromaticum - Jardim Botanico Rio Janeiro JPG

Alameda das Palmeiras Imperiais – Jardim Botânico do Rio de Janeiro

Foto retirada da internet – Site:
http://checkinpelomundo.blogspot.com/2012/07/rio-de-janeiro-jardim-botanico.html

 

 

Em sua gloriosa carreira Barbosa Rodrigues nomeou muitos gêneros, entre os quais destaco Baptistonia, Capanemia, Constantia e Pleurobotryum. Ele também era um desenhista brilhante. Os originais de suas 380 aquarelas, documentando 700 espécies, foram recuperados pela Universidade da Basileia, na Suiça.

O Dia do Orquidófilo é comemorado no Brasil no dia 22 de junho, dia do nascimento de Barbosa Rodrigues, em uma justa homenagem por sua gigantesca contribuição para a orquidologia.

 

Campylocentrum aromaticum - dia do orquidofilo JPG

 

 

O nome desta espécie, aromaticum, é uma óbvia e justa referência ao delicioso perfume emanado pelas flores desta orquídea.

 

Sinonímia: Campylocentrum hatschbachii, Campylocentrum rhomboglossum  e Campylocentrum trachycarpum.

 

Esta planta é originária dos estados do Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, no Brasil, além de Paraguai e região nordeste da Argentina, onde vegeta de forma epífita em diversos biomas, mas sempre em locais bem protegidos da incidência de raios solares e com bastante umidade. Pela grande quantidade de exemplares que vi na região onde moro, provavelmente o estado do Paraná seja um dos principais centros de distribuição desta orquídea.

 

Campylocentrum aromaticum - ocorrencia especie JPG

Campylocentrum aromaticum –  Ocorrência

Imagem retirada da internet – Site:
http://enlaescuelapublica.blogspot.com.br/2014/03/mapa-de-america-latina-con-todos-sus.html

 

 

Planta desprovida de pseudobulbos, assim como todas as plantas de crescimento monopodial (vandáceas). Possui um longo caule ereto que pode chegar a meio metro de comprimento por 0,3cm a 0,4cm de diâmetro, do qual brotam longas e grossas raízes velamentosas em todo seu comprimento, de forma perpendicular ao caule.

As citadas folhas são planas, coriáceas, conduplicadas e bilobadas, com comprimento que varia entre 2,7 e 5,0cm, e largura entre 0,6 e 1,0cm.

As inflorescências se originam do lado oposto às folhas. Curtas hastes de aproximadamente 2,2cm de comprimento, suportando entre 10 e 16 pequenas flores muito perfumadas e de aproximadamente 0,3cm de diâmetro.

 

Campylocentrum aromaticum - Planta JPG

Campylocentrum aromaticum –  Estruturas da planta

Planta de minha coleção

Créditos fotográficos:  Juan Pablo Heller (Curitiba – PR)

 

 

As flores são magníficas. Apresentam o típico e charmoso formato estrelado, com sépalas um pouco maiores do que as pétalas, e um labelo levemente trilobado e pouco menor que as citadas estruturas. Em termos de cores uma total predominância de um branco intenso, que contrasta com o amarelo das polínias localizadas no labelo. Na bela foto abaixo, muito ampliada, tento mostrar estas estruturas:

 

Campylocentrum aromaticum - Flor JPG

Campylocentrum aromaticum –  Estruturas florais

Foto retirada da internet – Site:
https://pt.wikipedia.org/wiki/Campylocentrum

 

 

Realmente um show de planta, que por seu diminuto tamanho entra na classificação de micro-orquídea (1*). Um espetáculo de cores intensas e formas harmoniosas que uma boa lipa pode nos mostrar. Uma planta delicada, atraente e perfumada que não pode faltar em uma boa coleção.

 

(1*) Micro-orquídea: existem muitas definições para este termo, todas divergentes quanto ao tamanho limite das flores. No meu trabalho adotei este nome para orquídeas com diâmetro igual ou inferior a um centímetro.

 

Abaixo relaciono algumas orientações importantes para o sucesso no cultivo desta orquídea:

 

  • Recomendo cultivar Campylocentrum aromaticum fixado em troncos ou em placas de madeira, com grande exposição das raízes para auxiliar na fotossíntese. Pode também ser cultivada sem nenhum tipo de substrato, amarrada a um alambrado ou qualquer outro tipo de estrutura.
  • Esta planta precisa de muita umidade e, por ter suas raízes expostas, como citado no item acima, é de fundamental importância que a mesma seja regada (borrifada) diariamente.
  • Ainda em relação à umidade, outra dica é olhar a cor das raízes. Se estiverem verdes ou de cor avermelhada, ainda estão hidratadas. Se estiverem brancas, cor do tecido velame que cobre as raízes, é hora de regar.
  • Outra questão muito importante para o sucesso no cultivo desta orquídea é a circulação de ar. Ambientes fechados representam um irrecusável convite para pragas como cochonilhas, pulgões e vespas, que perfuram as diversas estruturas da planta abrindo passagem para a entrada de fungos, bactérias e vírus. Mantenha sua planta em local ventilado para minimizar o risco de doenças.
  • Esta planta não tolera exposição em demasia aos raios solares. Cultive esta orquídea com sombreamento entre 60 e 70%.
  • Em termos de temperaturas Campylocentrum aromaticum suporta bem a grandes variações, podendo ser cultivada entre 10 e 35 graus.
  • Não esqueça de adubar periodicamente.

 

 

Aqui na região sul do Brasil floresce normalmente no outono, e sua floração dura em torno de 20 dias. Se bem cultivada pode brindar seu proprietário com uma segunda floração no ano.

 

A seguir relaciono algumas imagens ilustrativas, começando com exemplar da minha coleção:

 

 

Campylocentrum aromaticum - mai2019 (1)

Campylocentrum aromaticum

Propriedade e créditos fotográficos: Juan Pablo Heller  (Curitiba – PR)

 

 

 

Campylocentrum aromaticum - mai2019 (2)

Campylocentrum aromaticum

Propriedade e créditos fotográficos: Juan Pablo Heller  (Curitiba – PR)

 

 

 

Campylocentrum aromaticum - mai2019 (3)

Campylocentrum aromaticum

Propriedade e créditos fotográficos: Juan Pablo Heller  (Curitiba – PR)

 

 

 

Campylocentrum aromaticum - mai2019 (4)

Campylocentrum aromaticum

Propriedade e créditos fotográficos: Juan Pablo Heller  (Curitiba – PR)

 

 

 

Campylocentrum aromaticum - mai2019 (8)

Campylocentrum aromaticum

Propriedade e créditos fotográficos: Juan Pablo Heller  (Curitiba – PR)

 

 

 

Campylocentrum aromaticum - mai2019 (6)

Campylocentrum aromaticum

Propriedade e créditos fotográficos: Juan Pablo Heller  (Curitiba – PR)

 

 

 

E agora, para finalizar, mais algumas imagens, estas retiradas da internet:

 

 

 

Resultado de imagem para Campylocentrum aromaticum

Foto retirada da internet – Site:
http://www.orchidspecies.com/camparomaticum.htm

 

 

Resultado de imagem para Campylocentrum aromaticum

Foto retirada da internet – Site:
https://species.wikimedia.org/wiki/Campylocentrum_aromaticum

 

 

Resultado de imagem para Campylocentrum aromaticum

Foto retirada da internet – Site:
commons.wikimedia.org/wiki/File:Campylocentrum_aromaticum_03.jpg

 

 

Resultado de imagem para Campylocentrum aromaticum

Foto retirada da internet – Site:
https://www.orchids.it/2010/11/09/campylocentrum-aromaticum-fiori-piccoli-ma-belli/

 

 

Resultado de imagem para Campylocentrum aromaticum

Foto retirada da internet – Site:
http://www.orchidspecies.com/camparomaticum.htm

 

 

 

 

IMAGENS: fonte pesquisa GOOGLE

Este blog é dedicado a pessoas que, como eu, amam e cultivam orquídeas. Meu objetivo com este trabalho é conhecer pessoas, divulgar e trocar informações sobre estas plantas.

É uma atividade amadora e sem fins lucrativos.

Se você encontrar alguma foto de sua autoria neste blog, e desejar a remoção, por favor envie um e-mail para  que a mesma seja retirada imediatamente. Obrigado.

 

IMAGES: GOOGLE search

This blog is dedicated to people who, like me, love and cultivate orchids. My goal with this job is meeting people, disseminate and exchange information on these plants.

It’s a non-profit non-professional activity.

If you find any of your images in this blog, and want it to be removed, please send me an email that I’ll do it immediately. Thank you.

 

 

 

0000-ANUNCIO COLETA CRIME JPG

 

 

 

 

 

Anúncios

6 pensamentos sobre “Campylocentrum aromaticum

  1. Boa noite! Sou novo no mundo das orquídeas, mas apesar do pouco tempo, estou fascinado… O conteúdo do Blog está sendo muito importante para o meu aprendizado, obrigado!

    Curtir

    • Bom dia Leandro. Bem vindo então ao maravilhoso mundo das orquídeas. Fico feliz em saber que você gosta do meu blog. Envie fotos de tuas plantas e sugira temas para futuras aulas.

      Só por curiosidade, em que cidade você reside?

      Um grande abraço.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s