Bulbophyllum putidum

 

 

Ontem foi um dia especial… ministrei mais um curso no “Dona Luiza Orquídeas e Suculentas”, de minha amiga Caroline Hasse, localizado no bairro Capão Raso, aqui em Curitiba. Conheci pessoas muito simpáticas e aumentei meu rol de amigos. Muito legal.

 

IMG-20180519-WA0028

Participantes do curso “Manutenção de orquídeas”, realizado no “Dona Luiza Orquídeas e Suculentas”.

Crédito fotográfico:  Caroline Hasse

 

 

E a inspiração para a aula de hoje vem justamente do citado evento. Uma das queridas pessoas que participaram do curso, a Maria Morena, depois de muito observar as plantas do local, acabou adquirindo uma pequena planta, desprovida de flores, e sem nenhum apelo estético, por pura atração à primeira vista.

Conhecendo a planta, posso garantir que a Maria fez uma ótima aquisição. Trata-se de uma maravilhosa orquídea do maior de todos os gêneros da família Orchidaceae. Planta delicada, de flores exóticas e de cores fortes e vibrantes, com um elevado poder de sedução e com um  desagradável aroma. Estou me referindo ao Bulbophyllum putidum…

 

… o fantástico Bulbophyllum fedorento

 

Bulbophyllum com certeza é o maior, e um dos mais complexos gêneros da família Orchidaceae, com mais de duas mil espécies bem diversificadas, distribuídas pelos trópicos de todos os continentes, com predominância no sudeste da África e da Ásia. Somente na Nova Guiné ocorrem mais de 600 espécies.

 

Bulbophyllum putidum ocorrencia genero JPG

Nova Guiné – Principal centro de dispersão do gênero Bulbophyllum

Foto retirada da internet – Site:
http://www.simonsjamjar.com/2015/04/questions-answers-papua-new-guinea.html

 

 

Nova Guiné – Vista aérea

Foto retirada da internet – Site:
http://www.portalconsular.itamaraty.gov.br/seu-destino/papua-nova-guine

 

 

O gênero Bulbophyllum foi criado em 1822 pelo botânico francês Louis-Marie Aubert du Petit-Thouars (1758 – 1831).

Thouars nasceu numa aristocrática família de Bournois, e durante a Revolução Francesa ficou dois anos preso antes de ser exilado, e se estabelecer em Madagascar. Passou 10 anos estudando e coletando plantas, antes de retornar para a França com mais de 2000 espécies, recolhidas nas ilhas de Madagascar, Maurícias e Reunião.

Imagem relacionada

Louis-Marie Aubert du Petit-Thouars

Foto retirada da internet – Site:
https://en.wikipedia.org/wiki/Louis-Marie_Aubert_du_Petit-Thouar

 

 

Grande parte destas plantas foi para o Muséum de Paris, e Thouars foi eleito membro da Académie des Sciences. Seu grande trunfo foi o livro “Histoire des végétaux recueillis dans les îles de França, de Bourbon et de Madagascar”.

 

Resultado de imagem para Muséum de Paris

Muséum de Paris

Foto retirada da internet – Site:
https://www.parisianist.com/en/attractions/museums/gallery-of-paleontology-natural-history-museum

 

 

Com tantas espécies é difícil destacar algumas características comuns às orquídeas deste gênero. Basicamente posso informar que são todas plantas de forma de crescimento simpodial, com rizoma longo, ramificado e de crescimento desordenado, suportando pseudobulbos bem espaçados, e fazendo com que estas plantas ocupem grandes espaços.

Ainda, em função da quantidade de espécies, e de sua complexidade, o gênero Bulbophyllum está dividido em muitos subgêneros e secções. No Brasil existem cerca de 60 espécies descritas, todas pequenas, pouco ornamentais, pouco divulgadas e pouco comercializadas.

O nome deste gênero procede da latinização das palavras gregas bolbos, que significa “bulbo”, “tubérculo”, e phyllon, que significa “folha”, numa referência à forma bulbosa das folhas da primeira planta descrita, que tem folhas bastante espessas.

A orquídea do dia é o fabuloso Bulbophyllum putium, descrito originalmente em 1862 como Cirrhopetalum putidum, pelos botânicos holandeses Johannes Elias Teijsmann (1808 – 1882) e Simon Binnendijk (1821 – 1883).

Teijsmann foi um renomado biólogo, botânico e colecionador de plantas, que chegou a ter uma invejável coleção com mais de 10.000 espécies. Participou de diversas expedições botânicas em todo o sudeste asiático, e foi nomeado diretor-hortulanus-das terras Plantentuin em Buitenzorg, agora Bogor (cidade da Indonésia, na província de Java Ocidental, situada perto de Jacarta, a capital nacional).

 

Resultado de imagem para Johannes Elias Teijsmann

Johannes Elias Teijsmann

Foto retirada da internet – Site:
https://en.wikipedia.org/wiki/Johannes_Elias_Teijsmann

 

 

Entre muitos outros feitos, Teijsmann foi o responsável pela introdução de plantas de mandioca nas Índias Orientais Holandesas, servindo como importante fonte de alimento para aliviar a fome do povo local.

Em sua homenagem foi nomeado o gênero botânico Johannesteijsmannia, pertencente à família Arecaceae.

 

Resultado de imagem para Johannesteijsmannia altifrons

Johannesteijsmannia altifrons

Foto retirada da internet – Site:
www.pinterest.pt/pin/249598004320733840/

 

 

Em conjunto com seu fiel amigo Simon Binnendijk, Teijsmann deixou um brilhante legado em suas obras  “Plantae novae em Horto Bogoriensi cultae“, de 1862, e “Catalogo plantarum quae em Horto Botanico Bogoriensi coluntur“, de 1866.

O botânico Binnendijk foi jardineiro em Leiden, na Holanda. Participou de expedições às Ilhas Molucas,arquipélago que faz parte da Indonésia, e chegou ao cargo de curador no Jardim botânico de Buitenzorg nas Índias Orientais Holandesas.

 

 

Resultado de imagem para Buitenzorg botanical garden

Jardim Botânico de Buitenzorg

Foto retirada da internet – Site:
http://discoveryourindonesia.com/bogor-botanical-garden/

 

 

Entre várias outras espécies, Simon Binnendijk descreveu os gêneros Capellenia, Eusideroxylon e Gonystylus. A Garcinia binnendijkii e o Ficus binnendijkii foram nomeados em sua homenagem.

A mudança de gênero da planta do dia, de Cirrhopetalum putidum para Bubophyllum putidum, foi feita em 1912 por mais um botânico holandês, Johannes Jacobus Smith (1867 – 1947).

Na verdade J.J.Smith nasceu na Antuérpia, na Bélgica, cidade localizada na região de Flandres, na divisa com a Holanda. Por ser de família holandesa e por ter vivido nos países baixos quase toda sua vida, ele é considerado holandês.

 

antuerpia35

Antuérpia (Bélgica) – Vista aérea

Foto retirada da internet – Site:
http://passeioseroteiros.com.br/antuerpia-belgica/

 

 

Só por curiosidade, e fugindo totalmente do tema orquídeas, vou comentar a origem no nome Antuérpia. Segundo uma lenda mitológica regional, existia um gigante chamado Antigoon que morava na região do rio Escalda. Antigoon cobrava uma espécie de pedágio das pessoas que queriam atravessar o rio e, em caso de recusa, ele lhes cortava uma das mãos e a atirava ao rio. Em uma homérica luta, um jovem mítico chamado Brabo matou o gigante e, como forma de vingança, lhe cortou uma mão e a arremessou ao mesmo rio. Assim surgiu o nome da cidade, Antwerpen, que em holandês combina as palavras hand, que significa “mão”, e werpen, que significa “arremessar”.

 

Até hoje existe uma estátua em frente ao palácio municipal dessa cidade, que já se tornou símbolo para Antuérpia.

 

Resultado de imagem para Antigoon

Estátua de Antigoon

Foto retirada da internet – Site:
http://download-images.com/antigoon.htm

 

 

J.J.Smith passou vinte anos pesquisando a flora das Índias Orientais Holandesas, principalmente Java, onde estudou e descreveu centenas de espécies de orquídeas, entre as quais muitas Phalaenopsis e Dendrobium. Os gêneros Abdominea e Ascocentrum foram nomeados por ele.

Escreveu muitas obras de grande valor científico, dentre os quais se detacam:

  • Die Orchideen Von Java – 1905.
  • Ericacea – Gentianaceae – Corsiaceae – Polugalaceae –
  • Aanteekeningen over orchideeën – 1920.
  • The Orchidaceae of Dr. W. Kaudern’s expedition to Selebes – 1926.
  • Enumeration of the Orchidaceae of Sumatra and neighbouring islands –

 

Die Orchideen Von Java V6 (1905) written by Smith, Johannes Jacobus

Die Orchideen Von Java

Imagem retirada da internet – Site:
http://wonderclub.com/books/die-orchideen-von-java-v6-1905

 

 

Bulbophyllum putidum é uma orquídea originária da região sul da Tailândia e Filipinas, além de Sumatra, Malásia, Bornéu, Sulawesi e mais algumas pequenas ilhas do Pacífico.

 

Bulbophyllum putidum ocorrencia JPG

Bulbophyllum putidum  –  Ocorrência

Imagem retirada da internet – Site:
http://mapas-asia.com/sudeste-politico.htm

 

 

Em seu hábitat, esta linda orquídea vegeta de forma epífita em florestas sombrias e úmidas localizadas em altitudes compreendidas entre 400 e 1400 metros.

Putidum, o nome desta espécie, é uma palavra originária do latim e cujo significado é “mal cheiroso”, “fedorento”, numa óbvia referência ao desagradável perfume emanado pelas flores desta orquídea. Aliás, este atributo lhe rendeu o apelido de “The Stinking Bulbophyllum”, cuja tradução é “O Bulbophyllum fedorento”.

Sinonímia: Bulbophyllum appendiculatum; Cirrhopetalum appendiculatum; Cirrhopetalum putidum; Mastigion appendiculatum e Mastigion putidum.

Esta planta é muito confundida com o Bulbophyllum fascinator, sendo que alguns autores afirmam tratar-se da mesma planta. Porém, existem diferenças visíveis entre estas duas orquídeas, principalmente em termos morfológicos dos labelos. Desta forma, eu trato Bulbophyllum putidum e Bulbophyllum fascinator como espécies distintas.

Trata-se de uma planta de pequeno porte, rasteira e de crescimento simpodial, que forma grandes e lindas touceiras. Possui rizoma longo e ramificado com raízes velamentosas. Os pseudobulbos são bem definidos, monofoliados e espaçados, de formato fusiforme e ligeiramente achatados lateralmente. As folhas são carnudas e de formato elíptico, com aproximadamente 10cm de comprimento.

A inflorescência é do tipo semi-ereta. Hastes florais de comprimento variando entre 10 e 15cm, que nascem da base dos pseudobulbos, e que suportam uma única e solitária flor com diâmetro variando entre 10 e 14cm.

Em termos de cores a flor desta orquídea e um espetáculo difícil de descrever. Sépala dorsal e pétalas de cor predominantemente amarela, tracejadas longitudinalmente de vermelho, e com pilosidades de cor rosada nas extremidades. As sépalas laterais são longas e fundidas, e nelas as mesmas cores descritas se mesclam em um colorido simpático e exótico, que lembra as típicas calças listradas de um palhaço circense. O labelo é articulado e apresenta um festival de combinações: rosa, vermelho e amarelo se mesclam formando uma linda pintura.

 

Fantasia Adulto Masculino Palhaço Divertido

Imagem retirada da internet – Site:
https://www.bellacollezione.com/fantasia-adulto-masculino-palhaco-divertido

 

 

Para fechar com chave de ouro só faltou um perfume adocicado e embriagante padrão Carolina Herrera, Hugo Boss, Azzaro ou Paco Rabanne. Porém, neste aspecto a natureza castigou a orquídea do dia.O Bulbophyllum putidum exala um desagradável aroma que lembra “carniça”. Mas tudo tem seus motivos e razões. Esta é uma artimanha utilizada pela planta visando atrair um seleto grupo de polinizadores como as moscas.

 

Resultado de imagem para gif mosca

Imagem retirada da internet – Site:
http://opafuncio.blogspot.com.br/2007/11/mosca-ou-aranha.html

 

 

Seguem algumas recomendações para cultivo:

  • A maior parte dos orquidófilos cultiva as plantas deste gênero em vasos rasos de barro. Muito bom porque este material retém umidade e não deixa o substrato encharcado. Porém, eu não recomendo o uso destes vasos, porque os mesmos filtram a água e retém os sais que, com o tempo, prejudicam a planta e dificultam novas floradas.
  • Eu prefiro o cultivo em cascas ou troncos de árvores. Neste caso, recomendo o uso de peças grandes porque esta planta cresce rapidamente e, por ser rastejante e possuir bulbos bem espaçados, se espalha ocupando uma grande área.
  • Outra opção ainda é o cultivo em vaso de plástico ou caixeta de madeira. Neste caso utilize vasos preferencialmente rasos. Ainda, se esta for sua opção, então sugiro um substrato feito de partes iguais de casca de pinus, carvão vegetal, pedrisco e esfagno.
  • Vale destacar que a grande maioria dos Bulbophyllum precisa de muita umidade. Por este fato é que sugeri a inclusão de esfagno no substrato.
  • Procure cultivar esta orquídea em local com boa ventilação e com sombreamento de 60%.
  • Sugiro cultivo com temperaturas entre 10 e 35 graus. Proteja esta planta nos dias mais rigorosos do inverno.
  • Diminua as regas quando começarem a aparecer as inflorescências para evitar o apodrecimento dos botões florais.
  • Pode ser dividida como quase todas as orquídeas de crescimento simpodial, cortando o rizoma e deixando pelo menos 4 bulbos em cada parte da divisão.

Aqui no sul do Brasil floresce normalmente na outono e cada floração dura em média duas semanas.

A seguir relaciono algumas fotos ilustrativas:

 

Bulbophyllum putidum - abril 1

Bulbophyllum putidum

Planta de minha coleção

Créditos fotográficos:  Juan Pablo Heller

 

 

 

E agora mais algumas fotos, estas retiradas da internet:

 

 

 

 

Resultado de imagem para Bulbophyllum putidum

Foto retirada da internet – Site:
http://www.orchidspecies.com/bulbputidum.htm

 

 

Resultado de imagem para Bulbophyllum putidum

Foto retirada da internet – Site:
https://bklynorchids.com/2011/02/04/orchid-of-the-week-bulbophyllum-putidum/

 

 

Resultado de imagem para Bulbophyllum putidum

Foto retirada da internet – Site:
https://www.orquidariotropical.com.br/p-7475690-BULBOPHYLLUM%20PUTIDUM

 

 

Resultado de imagem para Bulbophyllum putidum

Foto retirada da internet – Site:
http://marniturkel.com/ophoto/425.html

 

 

Resultado de imagem para Bulbophyllum putidum

Foto retirada da internet – Site:
http://bluenanta.com/natural/27104/species_detail/

 

 

 

 

 

IMAGENS: fonte pesquisa GOOGLE

Este blog é dedicado a pessoas que, como eu, amam e cultivam orquídeas. Meu objetivo com este trabalho é conhecer pessoas, divulgar e trocar informações sobre estas plantas.

É uma atividade amadora e sem fins lucrativos.

Se você encontrar alguma foto de sua autoria neste blog, e desejar a remoção, por favor envie um e-mail para  que a mesma seja retirada imediatamente. Obrigado.

 

IMAGES: GOOGLE search

This blog is dedicated to people who, like me, love and cultivate orchids. My goal with this job is meeting people, disseminate and exchange information on these plants.

It’s a non-profit non-professional activity.

If you find any of your images in this blog, and want it to be removed, please send me an email that I’ll do it immediately. Thank you.

 

 

 

 

 

 

Anúncios

2 pensamentos sobre “Bulbophyllum putidum

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s