Trigonidium obtusum

Hoje vou falar de um gênero pouco conhecido e cujas espécies são difíceis de encontrar em orquidários e floriculturas. É um gênero de plantas com baixíssimo valor comercial e pouca procura. Um gênero de plantas com flores pequenas e consideradas feias. É o gênero Trigonidium.

É uma planta com uma flor que está longe de atender aos requisitos mínimos de estética e beleza, mas que compensa tudo com seu formato exótico e com sua artimanha incrível para atrair polinizadores. Uma trapaceira nata.

Aliás, o interesse nesta planta é tão pouco, que achar literatura técnica e/ou fotos é uma tarefa complexa e árdua.

Porém, como sempre acontece, existem as exceções. Tenho uma única espécie deste gênero que cultivo como muito amor e carinho. Uma planta que está entre as “queridinhas” de minha coleção. Um lugar de destaque na estufa, adubação balanceada e um “cafuné” antes de dormir.

Trigonidium é um gênero da família Orchidaceae, proposto em 1837 pelo botânico inglês John Lindley (1799 – 1865). As orquídeas deste gênero são parentes próximos do gênero Maxillaria.

Trigonidium é uma palavra composta e de origem grega. Trigonidion, cuja tradução é “pequeno triângulo”, em referência ao formato das flores.

Este gênero é composto por apenas 13 espécies, todas de hábito epífita, originárias da extensa faixa que se estende desde o México até o sul do Brasil, onde vegetam em matas úmidas e sombrias. A Serra do Mar é o principal centro de dispersão destas orquídeas.

São plantas de médio porte e crescimento sompodial, que se caracterizam principalmente pelo formato curioso das flores. As sépalas são a parte visível e são unidas na base da flor, dando o referido formato triangular. Pétalas e labelo diminutos são imperceptíveis sem manusear e abrir a flor.

Hoje vou falar do Trigonidium obtusum, planta natural da Serra do Mar brasileira e com ocorrências registradas nas Guianas, Colômbia, Venezuela, Equador e Bolívia, onde vegeta em florestas úmidas localizadas entre 300 e 1000 metros de altitude.

O nome da espécie deriva do latim, obtusus ou obtusum, que significa “com ponta que termina abruptamente”, em referência ao formato do botão floral pouco antes de abrir.

O rizoma desta planta é robusto e compacto, e as raízes são cobertas de tecido velame. Os pseudobulbos tem formato ovoide e são levemente achatados lateralmente. Cada pseudobulbo suporta de uma a três folhas apicais, lanceoladas e coriáceas.

A inflorescência é curta, ereta e solitária. Uma pequena haste com 10 a 12cm de comprimento, originária da base do pseudobulbo, e suportando uma única flor.

A flor tem entre 1,5 e 2,0cm de diâmetro, com predominância das cores marrom e amarelo. Grandes sépalas, pequenas pétalas e labelo trilobado diminuto caracterizam esta planta. Não tem perfume.

O mais interessante nesta planta é o artifício utilizado para atrair o seu principal polinizador, a abelha-mosquito, também conhecida como jataí, jataí-mosquito, jataí-preta, jati, jati-preta e mirim, e cujo nome científico é Plebeia droryana.

As cores da flor, já citadas, são muito parecidas com as cores das fêmeas deste inseto. Assim, estas flores são polinizadas por zangões sexualmente excitados que, ao tentar copular com as sépalas, acabam ficando presos no tubo em forma de funil da flor. Até lograr a fuga, as polínias acabam ficando presas no corpo do zangão. Esta “trapaça” da flor recebe o nome de Mimetismo Pouyanniano.

Ainda, neste processo ocorre uma pseudocópula, que descreve uma ação similar à cópula, com função reprodutiva para um ou ambos os envolvidos, mas na qual não ocorre a união sexual real entre os indivíduos.

Resultado de imagem para Plebeia droryana

Plebeia droryana
Foto retirada da internet - Site:
http://x-alex.deviantart.com/art/Plebeia-droryana-333434874

 

É uma planta de fácil cultivo. Seguem algumas dicas:

  • De preferência cultive esta planta em cascas ou troncos de árvore.
  • Pode também ser cultivado em vasos de plástico ou caixetas de madeira, utilizando o uso de um substrato confeccionado com partes iguais de casca de pinus, esfagno e carvão vegetal.
  • Cuidado com a drenagem. Não deixe acumular água no fundo do vaso.
  • Sugiro ainda um cultivo com 60% de sombreamento e temperaturas entre 5 e 35 graus.

Floresce no verão, e a floração dura em torno de 20 dias.

Seguem algumas fotos:

 

img_20170209_171515773

Foto:  Juan Pablo Heller


Resultado de imagem para trigonidium obtusum

Foto retirada da internet - Site:
www.flickr.com/photos/josegil/5418671970

Resultado de imagem para trigonidium obtusum

Foto retirada da internet - Site:
www.flickr.com/photos/josegil/5418671674

 

 

 

IMAGENS: fonte pesquisa GOOGLE

Este blog é dedicado a pessoas que, como eu, amam e cultivam orquídeas. Meu objetivo com este trabalho é conhecer pessoas, divulgar e trocar informações sobre estas plantas.

É uma atividade amadora e sem fins lucrativos.

Se você encontrar alguma foto de sua autoria neste blog, e desejar a remoção, por favor envie um e-mail para  que a mesma seja retirada imediatamente. Obrigado.

 

IMAGES: GOOGLE search

This blog is dedicated to people who, like me, love and cultivate orchids. My goal with this job is meeting people, disseminate and exchange information on these plants.

It’s a non-profit non-professional activity.

If you find any of your images in this blog, and want it to be removed, please send me an email that I’ll do it immediately. Thank you.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s