Grandiphyllum pulvinatum

 

Em agradecimento a uma linda foto que recebi de minha amiga Clorinda, hoje vou falar de uma linda orquídea chamada Grandiphyllum pulvinatum. Aliás, deixo aqui uma nota de admiração e respeito a esta exímia orquidófila que cultiva suas plantas com paixão e maestria.

Resultado de imagem para obrigado com animaçao gif

O nome Grandiphyllum deriva do latim: grandis, que significa “grande”, e phyllum, que significa “folha”, em relação ao tamanho de suas folhas em proporção às outras partes da planta.

Como já antecipado pela Clorinda, o tamanho avantajado das folhas, aliado ao fato de serem finas, planas e normalmente dobradas, renderam as plantas deste gênero o simpático apelido de “orquídea orelha de burro”.

burro-igor-pooh-34140

Este é mais um gênero polêmico, como ocorre com quase todas as plantas desmembradas do Oncidium em 2006, e abriga 11 espécies.

Este gênero foi criado pelo biólogo Americo Docha Neto, graduado em Ciências Biológicas –  Modalidade Médica, pela Universidade de Santo Amaro, é que atualmente é um dos mais renomados taxonomistas de orquídeas brasileiras.

O nome desta espécie, pulvinatum, deriva do latim e significa “boleado”, “torneado”, em relação ao fato de suas flores possuírem superfície arredondada.

Esta espécie é oriunda do sul e sudeste brasileiro, além do Paraguai e noroeste da Argentina, onde vegeta de forma epífita em planícies de alto grau de umidade.

Resultado de imagem para bandeira brasil argentina paraguai

Sinonímia: Oncidium pulvinatum; Aurinocidium pulvinatum e Oncidium sciurus.

Muitos orquidófilos afirmam que o Grandiphyllum pulvinatum e o Grandiphyllum divaricatum são a mesma planta e, consequentemente seriam sinônimos. Porém, existem algumas pequenas discrepâncias morfológicas entre eles. Assim, eu me junto ao grupo dos que tratam estas plantas como espécies distintas.

É uma planta de crescimento simpodial e que forma grandes touceiras. Possui rizoma curto e espesso com raízes velamentosas, suportando pseudobulbos bifoliados, comprimidos, cilíndricos e ligeiramente achatados lateralmente. As folhas são grandes, finas e coriáceas.

A inflorescência é espetacular. Hastes racemosas e arqueadas que podem passar de 2 metros de comprimento, podendo suportar mais de uma centena de magníficas flores muito perfumadas e de aproximadamente 2,5cm de diâmetro.

Sépalas e pétalas de formato similar e de cor amarelo esverdeado, densamente maculadas de marrom. O labelo é grande e nele predomina uma tonalidade pálida de amarelo pintalgado de vermelho. Um show de flor.

Regras básicas para o cultivo:

  • Pode ser cultivada em vasos de plásticos ou caixetas, utilizando substrato composto de casca de pinus, carvão vegetal e esfagno. Porém eu costumo cultivar todas as plantas do gênero Oncidium e derivados, fixados em cascas ou troncos de árvores.
  • Deve ser cultivada em lugar bem ventilado, com muita umidade e rápida drenagem.
  • No inverno devemos diminuir a frequência das regas.
  • Gosta de boa luminosidade: 40 a 50% de sombreamento é o recomendado.
  • Suporta temperaturas entre 5 e 35 graus.

Floresce no verão e sua floração dura em torno de 30 dias.

Seguem algumas fotos:

grandiphyllum-pulvinatum

Crédito fotográfico: Clorinda

grandiphyllum-pulvinatum-1

grandiphyllum-pulvinatum-2

grandiphyllum-pulvinatum-4

grandiphyllum-pulvinatum-5

grandiphyllum-pulvinatum-7

grandiphyllum-pulvinatum-8

IMAGENS: fonte pesquisa GOOGLE

Se você encontrar alguma foto de sua autoria neste blog, e desejar a remoção, por favor envie um e-mail para  que a mesma seja retirada imediatamente. Obrigado.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s