Rhyncholaelia digbyana

 

FELIZ  NATAL

Resultado de imagem para arvore NATAL GIF ANIMADO

 

Hoje é um dia muito especial… é Natal. E, para um dia tão importante, uma orquídea sensacional.

 

Rhyncholaelia é um gênero pertencente a família Orchidaceae, composto por apenas duas plantas, a Rhyncholaelia glauca e a orquídea do dia que é a Rhyncholaelia digbyana.

Rhyncholaelia é uma palavra composta: rhynchos, deriva do grego e significa “focinho”, “bico”, e “Laelia” gênero da família Orchidaceae,  referindo-se ao bico proeminente que separa o ovário a partir do resto da flor das plantas deste gênero.

A Rhyncholaelia digbyana, planta do dia, foi proposta em 1918 pelo botânico e taxonomista alemão Friedrich Richard Rudolf Schlechter (1872 – 1925).

 Schlechter é autor de inúmeros trabalhos sobre orquídeas, e realizou diversas expedições por todos os continentes em busca de novas plantas. Atualmente existem perto de mil orquídeas propostas por ele.

O nome da espécie de hoje, digbyana, é uma homenagem a Mr. Edward Kenelm Digby, 11º Barão Digby (1894 – 1964), renomado orquidófilo inglês que presidiu o Comité de Orquídeas da Royal Horticultural Society.

Trata-se de uma planta de hábito epífita e crescimento simpodial, originária da Costa Rica, Belize, Guatemala, México e, principalmente, Honduras, seu principal reduto, e onde é conhecida popularmente como “flor de la virgen“. Pode ser encontrada habitando fixa em árvores desde o nível do mar até 1000 metros de altitude.

Resultado de imagem para virgem maria

 

Anteriormente esta orquídea foi classificada como Bletia digbiyana; Brassavola digbyana; Brassavola digbyana f. fimbripetala; Brassavola digbyana var. fimbripetala; Cattleya digbyana; Laelia digbyana; Laelia digbyana var. fimbripetala e Rhyncholaelia digbyanan f. fimbripetala.

Trata-se de uma planta com hastes florais unifloras de até 20cm de comprimento. As flores tem entre 13 e 15cm de diâmetro, e possuem sépalas e pétalas na cor verde claro, e o labelo de um verde ainda mais pálido.

A principal característica desta planta é o labelo: grande, arredondado e com margens franjadas. Exótico, atrativo e sedutor, o que fazem da Rhyncholaelia digbyana uma das plantas mais utilizadas para a geração de híbridos. Inclusive, o “B” da maior parte das Blc. conhecidas, é referente a esta planta, que anteriormente era classificada como Brassavola digbyana.

É uma planta fácil de cultivas. Seguem algumas dicas básicas:

  • Pode ser fixada em árvores, troncos ou placas de madeira. Porém, também vai bem se cultivada em vasos plástico, ou como eu prefiro, em caixetas de madeira. Neste caso sugiro um substrato composto de partes iguais de casca de pinus, pedra brita e carvão vegetal.
  • Cuidado sempre com a drenagem. Acúmulo de água nas raízes é fatal para a planta.
  • Ambiente com boa circulação de ar também é importante no cultivo desta orquídea.
  • Gosta de 50% de sombreamento e suporta variações entre 10 a 35 graus. Proteja a planta nos dias mais rigorosos do inverno.
  • Normalmente esta espécie só floresce depois que atingir 6 pseudobulbos. Assim, segue a dica para futuras divisões de touceira. Seis bulbos em cada parte da planta, e não 4 como estamos acostumados.

Floresce no final da primavera, sua floração dura em média 15 dias.

Seguem algumas fotos:

rhyncholaelia-digbyana-1

rhyncholaelia-digbyana-2

rhyncholaelia-digbyana-3

rhyncholaelia-digbyana-4

rhyncholaelia-digbyana-5

rhyncholaelia-digbyana-6

rhyncholaelia-digbyana-7

rhyncholaelia-digbyana-10

rhyncholaelia-digbyana-8

rhyncholaelia-digbyana-9

 

IMAGENS: fonte pesquisa GOOGLE

Se você encontrar alguma foto de sua autoria neste blog, e desejar a remoção, por favor envie um e-mail para  que a mesma seja retirada imediatamente. Obrigado.

 

 

 

Anúncios

4 pensamentos sobre “Rhyncholaelia digbyana

  1. Bom dia!!! Comprei uma muda numa exposição de orquidea em Miami. Como não posso trazer para o Brasil deixei com ela. A orquidea está bonita. Saem bastante brotos. Mas saiu dois bulbos para flor, mas está vazio. Nunca floresceu aqui. O que devo fazer para florescer?

    Curtir

    • Bom dia Vera. Eu cultivo esrta planta da mesma forma que a maioria das Cattleyas, ou seja, com 50% de sombreamento e temperaturas entre 10 e 35 graus. Rego sempre que o substrato está seco. Em média a cada dois dias no verão e a cada 4 dias no inverno. Evite molhar os botões florais quando em formação. Outro problema pode ser o excesso ou falta de adubo. Siga corretamente as dicas estampadas na etiqueta do adubo que você utiliza. Boa sorte e muito obrigado pela participação.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s