Barbosella cogniauxiana

Barbosella é um gênero pertencente a família Orchidaceae, desmembrado do gênero Restrepia, ao qual eram subordinadas, e proposto em 1918 pelo botânico e taxonomista alemão Friedrich Richard Rudolf Schlechter (1872 – 1925).

 Schlechter é autor de inúmeros trabalhos sobre orquídeas, e realizou diversas expedições por todos os continentes em busca de novas plantas. Atualmente existem perto de mil orquídeas propostas por ele.

Resultado de imagem para Friedrich Richard Rudolf Schlechter

Friedrich Richard Rudolf Schlechter

O nome do gênero, Barbosella, é uma homenagem ao engenheiro, botânico e naturalista brasileiro João Barbosa Rodrigues (1842 – 1909). Barbosa Rodrigues, como ficou mundialmente conhecido, organizou e dirigiu o Jardim Botânico de Manaus, e posteriormente tornou-se diretor do Jardim Botânico do Rio de Janeiro. Sua obra mais importante foi um trabalho sobre orquídeas, em três volumes, “Genera et species orchidearum novarum”, publicado em 1881.

Trata-se de um pequeno gênero, de pequenas flores, e bastante desprezado no meio da orquidofilia. Porém, para mim é mais um simpático e cativante grupo de maravilhosas plantas que admiro e coleciono.

No total são apenas 19 espécies distribuídas na América Central e América do Sul. Mais da metade destas orquídeas podem ser encontradas no Brasil.

São plantas miniaturas que apresentam forma de crescimento simpodial, e que vegetam de forma epífita em florestas sombrias saturadas de umidade, localizadas em regiões de climas frios.

Algumas espécies deste gênero apresentam flores quase iguais entre sí, dificultando, e muito, a correta identificação. Para tanto é necessário analisar minusciosamente o aspecto vegetativo da planta, tamanho, formato e espessura das folhas, ou variedade no tamanho das flores.

Agora vamos a planta do dia, a simpática Barbosella cogniauxiana, originária dos estados de São Paulo, Paraná , Santa Catarina e Rio Grande do Sul, no Brasil, e da província de Misiones, situada no nordeste argentino, onde ficam as cataratas do Iguaçu.

barbosella-cogniauxianamapa

Mapa de ocorrência- Barbosella cogniauxiana

barbosella-cogniauxianamisiones-mapa

Mapa da Argentina destacand província de Misiones

barbosella-cogniauxianamisiones

Cataratas do Iguaçu – Misiones (Ar)

Um dos principais centro s de dispersão desta planta se localiza no município de Carambeí, próximo à cidade de Ponta Grossa, no Paraná. A alta riqueza de espécies de orquídeas no município de Carambeí, está relacionada à grande diversidade de ambientes que ali ocorrem (floresta, floresta com afloramentos rochosos, mata de galeria, mata ripária, capão, campo e e campo higrófilo). Contudo o principal fator é a ocorrência de neblina e orvalho durante a noite e madrugada nas épocas mais frias e secas (outono e inverno).

barbosella-cogniauxianacarambei-2

Carambeí (PR)- Localização

barbosella-cogniauxianacarambei

Carambeí – foto local

Sinonímia: Barbosella handroi; Barbosella porschii; Barbosella riograndensis; Pleurothallis spegazziniana; Restrepia cogniauxiana e Restrepia porschii.

Trata-se de uma planta de crescimento rápido e reptante, que forma grandes e densos “tapetes” sobre seus hospedeiros. Possui um longo e fino rizoma com raízes velamentosas, e ramicaule que suporta pequenas e carnudas folhas de formato arredondado, com dimensões de 1,5 x 0,9cm. A inflorescência também é curta (aproximadamente 2,5cm), e é uniflora.

As flores que medem apenas 1,0 x 2,5cm são gigantescas em proporção ao tamanho da planta. As sépalas laterais são fundidas e são maiores que a sépala dorsal, com aparência de “bico aberto de pássaro” quando vistas de lado. As pétalas são muito menores e estreitas, e o labelo é móvel, e muito pequeno em comparação às outras partes da flor.

barbosella-cogniauxianabico-passaro

Em toda a flor predomina a cor verde em tonalidade pálida e levemente translúscida. No labelo, que é da mesm cor, podemos observar uma pequena mácula de cor púrpura.

Seguem algumas dicas para cultivo:

  • Sugiro cultivar a Barbosella cogniauxiana fixada em troncos ou cascas de árvores, com muitas raízes expostas. Esta planta precisa de grande aeração no sistema radicular. Sugiro ainda acrescer um pouco de esfagno visando a preservação da umidade por mais tempo.
  • Se sua opção for cultivo em vaso ou caixeta, então utilize um substrato confeccionado com partes iguais de casca de pinus, carvão vegetal e esfagno.
  • Cuidado com água acumulada no fundo. O substrato deve ser arejado e drenar a água imediatamente.
  • Gosta de uma boa sombra. 60 a 70% de sombremento é o ideal.
  • Suporta temperaturas entre 0 e 30 graus. Sugiro protegê-la nos dias mais quentes do verão.

Floresce no outono e sua floração dura em torno de 20 dias. Bem cultivada esta planta forma grandes touceiras com uma verdadeira fartura de flores. Espetacular.

Seguem algumas fotos:

barbosella-cogniauxiana1

barbosella-cogniauxiana2

barbosella-cogniauxiana8

barbosella-cogniauxiana9

barbosella-cogniauxiana10

barbosella-cogniauxiana11

barbosella-cogniauxiana12

barbosella-cogniauxiana13

barbosella-cogniauxiana14

IMAGENS: fonte pesquisa GOOGLE

Se você encontrar alguma foto de sua autoria neste blog, e desejar a remoção, por favor envie um e-mail para  que a mesma seja retirada imediatamente. Obrigado.

Anúncios

2 pensamentos sobre “Barbosella cogniauxiana

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s