Octomeria estrellensis

 

Octomeria é um gênero da família Orchidaceae, composto por 150 espécies, originárias de matas sombrias e úmidas da América Central e América do Sul, na faixa que se estende desde a Costa Rica até o Paraguai. Pelo menos 100 delas são naturais do Brasil.

O nome deste gênero, Octomeria, é uma referência ao fato de apresentarem oito políneas.

Este gênero foi proposto pelo botânico inglês Robert Brown, em 1813, baseando sua descrição na espécie anteriormente descrita por Lineu, como Epidendrum graminifolium, que então passou a chamar-se Octomeria graminifolia.

São todas plantas de crescimento simpodial e habito predominantemente epífita, podendo ocasionalmente ser encontradas vegetando de forma rupícola, terrestre ou humícola.

São plantas dotadas de rizoma curto e de caules normalmente finos que não formam pseudobulbos, também chamados ramicaules.

Infelizmente existe pouca literatura sobre as plantas do gênero Octomeria. Isto se deve ao fato de se tratar de orquídeas pequenas e de pouco valor comercial. Uma pena.

É chegada a hora de falar da planta do dia, a simpática Octomeria estrellensis, originária da Mata Atlântica das regiões sul e sudeste do Brasil. Aliás, do pouco que resta da maravilhosa Mata Atlântica (Nos mapas abaixo ilustro a ocupação deste bioma. O primeiro mostra a abrangência da Mata Atlântica no ano de 1500. O segundo representa a atualidade. Lastimável):

Resultado de imagem para mata atlantica remanescente

O nome desta espécie deriva do latim: stella,que significa “estrela”, e ensis, que significa “similar” em uma óbvia referência ao formato da flor.

Possui ramicaule com uma única folha plana, coriácea e pintalgada de marrom. A inflorescência é muito curta e brota do ápice do ramicaule. Uma haste de apenas um centímetro de comprimento, suportando uma ou duas pequenas flores de 2cm de diâmetro.

As flores são levemente perfumadas. Pétalas e sépalas translúcidas e de cor verde amarelado, e labelo da mesma cor e maculado de cor púrpura.

Esta planta costuma florescer abundantemente, mesmo nos ramicaules antigos, e por muitos anos. Assim, em pouco tempo podemos conseguir uma linda touceira.

Seguem algumas dicas para cultivo:

  • Sugiro cultivar a Octomeria estrellensis fixada em troncos ou cascas de árvores, com muitas raízes expostas, e com um bom espaço para crescimento.
  • Se sua opção for cultivo em vaso ou caixeta, então utilize um substrato confeccionado com partes iguais de casca de pinus, carvão vegetal e esfagno.
  • Cuidado com água acumulada no fundo. O substrato deve ser arejado e drenar a água imediatamente.
  • Sugiro cultivo com 50% de sombreamento, e temperaturas entre 5 e 35 graus.

Floresce na primavera e a floração dura em média duas semanas.

Seguem algumas fotos:

octomeria-estrellensis-1

octomeria-estrellensis-2

octomeria-estrellensis-3

octomeria-estrellensis-4

octomeria-estrellensis-5

octomeria-estrellensis-6

octomeria-estrellensis-7

octomeria-estrellensis-8

octomeria-estrellensis-9

octomeria-estrellensis-10

octomeria-estrellensis-11

octomeria-estrellensis-12

octomeria-estrellensis-13

octomeria-estrellensis-14

IMAGENS: fonte pesquisa GOOGLE

Se você encontrar alguma foto de sua autoria neste blog, e desejar a remoção, por favor envie um e-mail para  que a mesma seja retirada imediatamente. Obrigado.

 

 

Anúncios

2 pensamentos sobre “Octomeria estrellensis

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s