Rodriguezia bracteata

 

O gênero Rodriguezia foi classificado pelos exploradores Ruiz e Pavón, em 1794, e o nome é uma homenagem a Manuel Rodriguez, médico e botânico espanhol do século 18.

Este gênero é composto por 45 espécies, todas epífitas e de crescimento simpodial, originárias da América tropical, desde o México até o noroeste da Argentina. Mais da metade destas espécies são nativas do Brasil, e podem ser encotradas ao norte da Amazônia e em toda a Serra do Mar.

Aproveito que minha pequena muda acaba de florir (primeira foto abaixo), para falar da planta do dia, a espetacular Rodriguezia bracteata.

Esta planta é frequentemente confundida com a Rodriguezia venusta, da qual difere apenas no tamanho (0,5cm menor), e pela quantidade de quilhas do labelo. É realmente difícil identificar estas duas espécies.

O nome desta espécie deriva do latim, e é uma óbvia referência às brácteas desta planta.

Anteriormente a Rodriguezia bracteata foi classificada como Burlingtonia fragrans; Epidendrum bracteatum e Rodriguezia fragrans.

Esta orquídea é natural da Mata Atlântica, desde a Bahia até Santa Catarina, ocorrendo uma maior concentração nos estados de São Paulo e Paraná.

O perfume da Rodriguezia bracteata é realmente indescritível. Faltam adjetivos para definir este aroma único e espetacular. Não é a toa que anteriormente era conhecida por Rodriguezia fragrans.

A planta possui rizoma compacto formando pseudobulbos que suportam 2 ou 3 folhas estreitas e de aproximadamente 15 cm de comprimento.

A inflorescência é um show . Hastes florais pendentes com até 20cm de comprimento, suportando até 20 flores de aproximadamente 3cm de diâmetro. Pétalas e sépalas brancas, com labelo arroxeado, labelo também branco mas pintado de amarelo.

Floresce na primavera e a floração dura entre 15 e 20 dias.

Regras básicas para o cultivo:

  • Pode ser cultivada em vasos de plásticos ou caixetas, utilizando substrato composto de casca de pinus, carvão vegetal e esfagno. Porém, todas as plantas deste gênero gostam de ter muitas raízes expostas, aumentando a área para a realização de fotossíntese. Por isto, eu costumo cultivar estaplanta sempre em cascas ou troncos de árvores. Esta planta vai muito bem em Nespereiras, Laranjeiras e Pesseguieros.
  • Por ser uma planta natural da Serra do Mar, precisa de muita umidade, rápida drenagem e boa ventilação.
  • Gosta de 50% de sombreamento e suporta temperaturas entre 10 e 35 graus. Proteja a planta nos dias mais rigorosos do inverno.

Seguem algumas fotos:

 

img_20161017_170154320

Foto: Juan Pablo Heller

 

rodriguezia-bracteata-2

rodriguezia-bracteata-3

rodriguezia-bracteata-4

rodriguezia-bracteata-5

rodriguezia-bracteata-8

IMAGENS: fonte pesquisa GOOGLE

Se você encontrar alguma foto de sua autoria neste blog, e desejar a remoção, por favor envie um e-mail para  que a mesma seja retirada imediatamente. Obrigado.

Anúncios

4 pensamentos sobre “Rodriguezia bracteata

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s