Papilionanthe vandarum

Por que facilitar se dá para complicar. Mais um gênero polêmico que não é aceito por muitos orquidólogos, que preferem incluir estas plantas no gênero Vanda.

Em todo caso, Papilionanthe é um pequeno gênero composto por apenas onze espécies de origem asiática, todas de hábito epífita e/ou terrestre, e de crescimento monopodial.

A principal característica das plantas deste gênero são os caules finos com folhas teretes (folhas roliças lembrando as folhas de cebolinha ou alho).

O nome deste gênero deriva do latim: papilio, que significa “borboleta’’, e anthos, que significa “flor”, em uma óbvia comparação do formato da flor com o inseto.

Mas vamos ao estudo da planta do dia, a magnífica Papilionanthe vandarum.

O nome desta espécie também deriva do latim, e significa “parecida com Vanda”, em relação ao gênero ao qual era anteriormente subordinada.

E por falar nisto, esta planta já foi classificada como Aerides cylindricum; Aerides vandarum e Vanda vandarum. Aliás, esta última classificação ficou meio esquisita. A tradução seria “Vanda parecida com Vanda”.

É uma planta de hábito epífita originária da Índia, Himalaia oriental, Nepal, Butão, Sikkim, Miamar e sul da China, onde vegeta em regiões de clima temperado localizadas em altitudes entre 1000 e 1600 metros.

Planta de porte médio mas que não ocupa muito espaço para seu cultivo, por possuir caule e folhas finas.

É uma planta muito fácil de cultivar. Seguem algumas dicas:

  • Esta orquídea precisa de muita luminosidade. Sugiro cultivo com apenas 30% de sombreamento.
  • Não suporta baixas temperaturas. O ideal é cultivo entre 10 e 35 graus. Proteja a planta em dias de frio rigoroso.
  • Esta orquídea precisa de um tutor para fixação. Em lugares mais quentes, onde não seja necessária a movimentação da planta para proteção contra baixas temperaturas, podemos fixá-la em árvores, ou “agarrada” em cerca aramada (alambrado), como se fosse uma trepadeira.
  • O meu exemplar desta planta cultivo amarrado em um cabo de vassoura suspenso, sem nenhum substrato.
  • Porém a maioria das pessoas que conheço cultivam esta planta em caixetas de madeira, com substrato solto, confeccionado com casca de pinus, carvão vegetal e flocos de isopor.

Suas simpáticas flores são de um branco puro e espetacular, capaz de “matar” de inveja todas as marcas de sabão em pó e alvejantes. Possuem labelos suave e delicadamente pintados de um rosa pálido. Hastes florais de até 30cm suportando flores com 4 a 5cm de diâmetro.

Floresce no final do inverno, e a floração dura em torno de 15 dias.

Muito linda. Recomendo.

Seguem algumas fotos,

 

papilionanthe-vandarum-1

papilionanthe-vandarum-2

papilionanthe-vandarum-3

papilionanthe-vandarum-4

papilionanthe-vandarum-5

papilionanthe-vandarum-6

papilionanthe-vandarum-7

papilionanthe-vandarum-8

papilionanthe-vandarum-9

 

IMAGENS: fonte pesquisa GOOGLE

Se você encontrar alguma foto de sua autoria neste blog, e desejar a remoção, por favor envie um e-mail para  que a mesma seja retirada imediatamente. Obrigado.

 

 

Anúncios

4 pensamentos sobre “Papilionanthe vandarum

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s