Blc. Alma Kee

Quando falei da Blc. Durigan, em postagem do dia 16 de agosto, comentei que sempre tive preferência por plantas naturais. E falei a verdade. Porém, não posso deixar de abordar as plantas híbridas, que atualmente dominam plenamente o mercado de orquídeas.

A busca por plantas “perfeitas” tem levado o homem a realizar ousados cruzamentos. Mas quais são os fatores que levam as pessoas a hibridar? Relaciono a seguir alguns motivos:

  • O primeiro fator é a curiosidade. Aventurar-se na criação de novas plantas é algo muito excitante, principalmente para os iniciantes na área.
  • A busca de uma planta estupenda, que leve o produtor à fama, também é muito relevante. Quem sabe algum dia existirá uma fantástica Blc. Pablo Heller… não custa sonhar.
  • A ânsia por flores cada vez maiores e mais coloridas, formas ousadas e atraentes, labelos franjados, maior quantidade de flores por inflorescência, perfume e outras características são focadas.
  • A tentativa de conseguir plantas de maior valor comercial.
  • A procura por plantas cada vez mais resistentes a variadas condições climáticas.
  • A melhoria genética e a resistência a doenças.
  • A época de floração, visando ter plantas floridas em ocasiões especiais como dia das mães, dia dos namorados, finados e Natal, nas quais aumenta muito a procura por flores.

Mas cultivar híbridos é mais fácil do que cultivar espécies naturais? A resposta é fácil… SIM.

A hibridação tanto de plantas como de animais, é uma técnica muito utilizada visando um melhoramento genético, no intuito de aumentar o vigor da descendência (heterose).

A cada cruzamento são geradas plantas com mais tipos de genes em relação a cada uma de suas espécies progenitoras. Assim, obtemos plantas com maior produtividade, precocidade e facilidade de adaptação a diferentes ambientes.

Numa próxima ocasião falarei mais sobre este tema. Agora é o momento de falar da planta do dia, a estupenda Blc. Alma Kee.

Este com certeza é um dos mais conhecidos e premiado híbrido de orquídeas. Foi registrado em 1975 por Miyamoto, no Hawaii. O clone “Tipmalee” é o mais famoso, e foi muito propagado mundialmente.

Hastes de 15cm de comprimento, suportando grandes flores de aproximadamente 14cm de diâmetro, com pétalas e sépalas de uma cor amarelo vibrante, e um labelo vermelho com estrias amarelas.

A Blc. Alma Kee é o resultado do cruzamento de uma Lc. Alma com uma Blc. Cheah Bean-Kee. Abaixo mostro a árvore genealógica completa desta orquídea:

imagem1

É fácil concluir que, com características genéticas de tantas plantas, a Blc. Alma Kee se adapta a quase todos os ambientes, e o seu cultivo é bem tranquilo. Seguem algumas dicas:

  • Eu costumo utilizar caixetas de madeira, com substrato composto de partes iguais de casca de pinus, pedra brita e carvão vegetal.
  • Precisa de muita umidade, boa drenagem da água, e boa ventilação.
  • Gosta de 50% de sombreamento e suporta temperaturas entre 5 e 35 graus.

A floração dura em torno de 30 dias, e a época depende muito das condições ambientais do local de cultivo.

Seguem algumas imagens:

blc-alma-kee-1

blc-alma-kee-2

blc-alma-kee-3

blc-alma-kee-4

blc-alma-kee-5

blc-alma-kee-7

blc-alma-kee-6

 

IMAGENS: fonte pesquisa GOOGLE

Se você encontrar alguma foto de sua autoria neste blog, e desejar a remoção, por favor envie um e-mail para  que a mesma seja retirada imediatamente. Obrigado.

Anúncios

7 pensamentos sobre “Blc. Alma Kee

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s